Estas imagens de Martín de Pasquale são tão surreais que, obviamente, você sabe que não são fotos reais. Mas elas foram perfeitamente executadas. E o motivo para isso não é habilidades incríveis no Photoshop, e sim ótimo planejamento.

Se você quer fazer composições perfeitas de fotos, não é tão difícil se você planejar com antecedência. O exemplo de Martín vai mostrar a você como fazer.

Combinar as cores e luzes de todos os elementos de imagens compostas é a parte mais difícil do processo, então a chave para ser bem sucedido (e rápido) é fotografar elementos individuais no mesmo ambiente, com a mesma luz.

Neste caso, você pode ver a imagem base – Martín tocando uma bateria incompleta – e depois pilhas em diferentes posições, tiradas mais perto da câmera para ser mais fácil criar a composição depois.

Outra imagem brinca com escala. Eu queria muito que um cão gigante como esse existisse.

Eis todos os elementos, fotografados a distâncias diferentes para facilitar o processo de composição.

Mais escala é mais diversão. Desta vez Martín é o gigante.

E apenas três fotos foram necessárias para criar a imagem final. A iluminação faz tudo parecer real.

Multiplicação também é fácil. Você só precisa de muitas fotos quando quer multiplicar qualquer objeto, sem precisar mover a câmera.

Aqui outra coisa legal para fazer: brincar com partes do corpo.

É um pouco mais complicado pois requer ilustrações para simular o pescoço cortado, além do planejamento para simular o corpo flutuando.

Você também pode colocar várias pessoas na mesma foto, mesmo que mexa na câmera. Só precisa atingir os ângulos e posições certas.

Neste caso, borrar a imagem um pouco é necessário para simular o movimento, mas não é nada muito complicado.

Esta é ótima: combinando a inclinação e proximidade para acentuar a ilusão de estar fotografando uma maquete.

Desta vez, Martín não usou as mesmas técnicas das outras imagens, preferindo um fundo preto para a foto da mão.

Nesta, a caixa não é real… e sim apenas uma ilustração.

Veja mais fotos como estas aqui: [Martín de Pasquale/Facebook]