Ao longo dos anos, a Festo, uma empresa alemã de automação com uma quedinha por robôs, projetou inúmeros autômatos inspirados na Mãe Natureza. Eles nadam, pulam e voam como seus colegas do mundo real. Isso inclui pássaros robóticos, que agora foram atualizados com penas falsas que permitem que eles voem pelo ar com a mesma capacidade de manobra e agilidade de uma ave de verdade.

Nove anos atrás, a Festo revelou uma gaivota robótica com asas que podiam se dobrar e bater como as das aves que aparecem nas praias na vida real. O pássaro robótico foi capaz de permanecer no ar simplesmente batendo as asas, sem a necessidade de uma hélice adicional ou outro mecanismo para criar impulso para a frente. Ele também podia virar para os lados, ajustando o ângulo de sua cauda. Embora fosse uma maravilha da engenharia, sua capacidade de manobra no ar era limitada.

GIF: Festo

A versão mais recente do pássaro robótico da Festo, BionicSwift, é completamente diferente. Para começar, é muito menor, pesando apenas 42 gramas mesmo carregando uma bateria que dura por cerca de sete minutos de voo. Um motor elétrico aciona o movimento de bater das asas do robô, enquanto outros dois fazem ajustes nas penas artificiais de espuma do pássaro para realizar manobras realistas durante o voo.

Como em um pássaro real, quando as asas estão se movendo para baixo, as penas sobrepostas formam uma superfície única para maximizar a quantidade de energia gerada para criar sustentação. Quando as asas estão subindo, as penas se espalham para aumentar o fluxo de ar, reduzindo a quantidade de energia necessária para esse movimento, melhorando a vida útil da bateria.

No vídeo que a Festo compartilhou no YouTube, o pássaro robô também é visto executando uma manobra de mergulho, onde graciosamente cai do céu para ganhar velocidade antes de abrir as asas e subir novamente. É assustador de tão realístico.

A Festo até conseguiu recriar a capacidade sobrenatural dos pássaros de voar por metade do mundo sem se perder durante as migrações. O robô usa uma GPS incorporado para saber onde está. Mas, com apenas sete minutos de tempo de voo, a empresa não precisa se preocupar: esta ave não vai sair voando em direção à América do Sul quando o tempo estiver frio.