Em agosto, a E Ink mostrou um protótipo de celular com duas telas: uma LCD tradicional na frente, e uma e-ink monocromática atrás. Agora, vemos que o protótipo deve virar um produto final, disponível já no ano que vem.

Fabricado por uma empresa russa chamada Yota Devices, este não é um aparelho Android 4.x comum. Na frente, ele possui uma tela LCD de 4,3 polegadas e resolução 720 x 1280; atrás, temos uma touchscreen e-ink de 200 dpi do mesmo tamanho.

A Yota também divulgou detalhes sobre o que está por dentro: um processador Snapdragon S4 dual-core, 2GB de RAM, pelo menos 32 GB de armazenamento, 4G LTE, câmera de 12 megapixels traseira e uma frontal 720p. Apesar de ter duas telas, ele terá menos de 10mm de espessura, segundo a Yota.

A empresa ainda afirma que planeja usar a tela e-ink para algo além da leitura. Ela explica que vai encaminhar os dados para a segunda tela sempre que fizer sentido – caso de data e hora, anotações e listas de tarefas, por exemplo. Desta forma, a duração da bateria pode aumentar em até 50%, diz a Yota. Se isso vai funcionar bem na prática, e quantos vão gostar disso, aí é outra coisa.

Isso nos leva a algumas dúvidas principais. Primeiro, não está claro exatamente quem gostaria de ter um celular de tela dupla como este. Para ler? Isso é uma aplicação muito específica, geralmente feita melhor em uma tela maior do que 4,3″. Segundo, a Yota mal tem um histórico em fabricação de dispositivos: se ela está vendendo um smartphone baseado em um truque de tela dupla, será que o restante do aparelho é mesmo bom?

Só o tempo – e um hands-on – dirá. A Yota diz que lançará o aparelho na Rússia no terceiro trimestre de 2013, e que está “em negociações” com operadoras dos EUA e Europa. [Engadget]