Pessoas que andam de bicicleta elétrica têm mais chances de sofrer lesões graves do que as que andam em bicicletas convencionais e patinetes elétricos, de acordo com um estudo recente. Importante dizer que os patinetes elétricos têm seus próprios riscos à saúde.

A pesquisa, publicada em novembro no periódico Injury Prevention, analisou dados sobre lesões causadas por tais tipos de transporte coletados pelo governo dos EUA por meio de salas de emergência ao redor do país. Os autores compararam os padrões de lesões relatadas em 2000 e 2017 causadas por bicicletas elétricas, patinetes elétricos e bicicletas convencionais.

Durante esses anos, eles descobriram que 17% das lesões relacionadas às bicicletas elétricas eram lesões internas mais graves, como sangramento interno. Isso é mais que o dobro da porcentagem de lesões internas observadas em patinetes elétricos ou bicicletas convencionais.

Os ciclistas feridos de bicicleta elétrica também tiveram maior probabilidade de precisar de hospitalização do que os outros grupos. E os acidentes com bicicletas elétricas tiveram três vezes mais chances de se envolver em colisões com pedestres do que os dois grupos.

Por outro lado, as lesões provocadas por patinetes elétricos tinham três vezes mais chances de envolver concussões que os acidentes com bicicletas elétricas e maiores chances de causar fraturas nos ossos. No geral, mais pessoas se machucaram nos patinetes elétricos do que nas bicicletas elétricas, embora isso seja pelo menos em parte devido à maior popularidade dos patinetes. Durante o estudo, houve cerca de 130 mil lesões relacionadas a patinetes, em comparação com cerca de 3.000 lesões com bicicletas elétricas.

O mesmo estudo descobriu que as bicicletas convencionais causaram mais de 9 milhões de lesões. Os acidentes são ainda mais populares do que os que ocorrem com patinetes e bicicletas elétricas, no entanto, cerca de metade das famílias possuem uma em casa. E em comparação com as bicicletas elétricas e os patinetes, sabemos muito mais sobre o quão arriscado (e bom para a nossa saúde) andar de bicicleta pode ser.

“Não sabemos muito sobre os riscos e benefícios gerais dos patinetes e das bicicletas elétricas”, disse à Reuters o autor principal do estudo, Charles DiMaggio, que é diretor do programa de pesquisa de lesões na divisão de trauma e cuidados críticos cirúrgicos da Universidade de Noav York Langone Health.

Os autores sugerem que a alta velocidade máxima das bicicletas e patinetes elétricos é responsável por pelo menos parte do risco aumentado de lesão observado em comparação com as bicicletas convencionais. Mas, embora os ciclistas possam fazer mais para se manterem seguros, como usar voluntariamente capacetes e não andar bêbado, as cidades devem receber parte da folga regulatória também, especialmente se esses produtos puderem motivar as pessoas a experimentar formas de transporte mais ecológicas.

Muitas cidades estão com dificuldades para a achar a melhor maneira de regular o uso de bicicletas elétricas e patinetes elétricos, especialmente aquelas alugadas por empresas de transporte compartilhado, observou DiMaggio. E há muitas coisas que as cidades podem exigir ou implementar para criar uma experiência de pilotagem mais segura, como estações de ancoragem, ciclovias mais dedicadas e programas educacionais. Enquanto isso, as empresas provavelmente deveriam fazer mais para impedir que suas bicicletas elétricas peguem fogo ou simplesmente tenham problemas nos freios.