Já vimos vídeos virais o suficiente sobre tartarugas com canudos presos no nariz para mostrar que o plástico é uma ameaça para elas. Estudos descobriram que a cada minuto, o equivalente a um caminhão de plástico entra no oceano, e os pesquisadores estimam que todas as espécies de tartarugas marinhas no mundo estão cheias de microplástico. Comer todo este material é fatal para elas.

Os cientistas pensam há muito tempo que as tartarugas marinhas comem plástico porque se parece com suas presas — as sacolas, por exemplo, lembram águas vivas. Mas a atração das tartarugas marinhas pelo material pode ter mais a ver com o cheiro do que com a visão, de acordo com um novo estudo.

“Essa ‘armadilha olfativa’ pode ajudar a explicar por que as tartarugas marinhas ingerem e ficam emaranhadas em plástico com tanta frequência”, disse Joseph Pfaller, biólogo da Universidade de Flórida, que trabalhou no estudo, em um comunicado.

Para deixar claro, as tartarugas não são atraídas pelo plástico porque carregam os odores da comida humana em que estavam envolvidos. Em vez disso, as tartarugas parecem ser seduzidas pelo cheiro de plástico sujo, geralmente coberto de micróbios, algas, plantas e pequenos animais em superfícies molhadas. É o que acontece com os plásticos que acabam nas vias navegáveis.

Pfaller e seu coautores examinaram as reações de 15 jovens tartarugas cabeçudas aos cheiros pulverizados através de um cano em um estudo divulgado na segunda-feira (9) no periódico Cell. Eles expuseram cada tartaruga a quatro odores: comida de tartaruga contendo farinha de peixe e camarão, plástico sujo que imitava o cheiro do oceano e dois controles: água deionizada e plástico limpo. Eles descobriram que as tartarugas responderam aos cheiros de plástico sujo e à comida de tartaruga da mesma forma. Em outras palavras, parece que as tartarugas acham que o plástico do oceano cheira à comida.

Uma das tartarugas do estudo. Crédito: Joseph Pfaller
Uma das tartarugas do estudo. Crédito: Joseph Pfaller

As tartarugas no teste foram criadas em cativeiro e ingeriram consistentemente um tipo de alimento. Isso levou os cientistas a esperar que eles tivessem respostas mais fortes ao cheiro dele do que ao cheiro de plástico sujo. Infelizmente, não foi o que aconteceu — as tartarugas estavam igualmente interessadas nos dois odores.

Não está totalmente claro por que as tartarugas acham o cheiro de plástico sujo tão apetitoso, o que significa que será uma área para pesquisas futuras. É possível que eles estivessem respondendo ao sulfeto de dimetil, uma substância com cheiro específico que emana das algas e micróbios que se acumulam no plástico marinho. Elas também podem ter sido atraídos pelos cheiros dos pequenos animais que se acumulam no plástico marinho, como briozoários, hidrozoários e crustáceos.

Mas essas descobertas preliminares são importantes, porque elas mostram que todos os tipos de plástico no oceano apresentam problemas para as tartarugas marinhas, e não apenas aquelas que são moldadas perfeitamente para entupir seus orifícios (como canudos), que podem ficar presos (como suportes para latas de refrigerante) ou aqueles que parecem água-viva e outras presas (como sacolas de compras). Independentemente de qual seja a forma, o plástico se torna “sujo” uma vez que está no oceano. Como se precisássemos de outro motivo para forçar a indústria de combustíveis fósseis a parar de produzir tanto plástico.