A Agência de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos (FDA, na sigla em inglês) liberou o uso de uma injeção que oferece proteção de longa duração contra a infecção do vírus HIV.

Ainda não é uma vacina, mas uma droga injetável –a primeira e única do tipo– que serve como uma alternativa ao tratamento atualmente utilizado com comprimidos diários de profilaxia pré-exposição, chamados de PrEP.

Apretude

Batizada de Apretude, a novo medicamento reduz o risco de contrair o HIV-1 –o subtipo de vírus mais comum no mundo. Ela é administrada em pelo menos seis doses por ano, com intervalo de um mês entre as duas primeiras aplicações e dois meses nas seguintes.

A injeção foi fabricada pela farmacêutica ViiV Healthcare, que tem entre suas acionistas a Pfizer. A distribuição do medicamento deverá começar no início do próximo ano e, por enquanto, apenas nos Estados Unidos.

Podem tomar a injeção os adultos e adolescentes que estão no grupo de risco, como homens que fazem sexo com homens, mulheres cisgênero e mulheres trans que estavam em risco de contrair a doença. Os interessados precisam ter peso de pelo menos 35 kg e apresentar um teste negativo para o HIV-1.

Testes positivos

A aprovação da FDA foi baseada em dois estudos randomizados e duplo-cegos que envolveram 7.700 participantes em 13 países.

Os resultados de um primeiro estudo apontaram que aqueles que tomaram a injeção apresentaram uma redução de 69% na incidência de HIV, em comparação com aqueles que utilizavam os comprimidos da PrEP. No segundo, a incidência foi 90% menor em favor do novo medicamento.

Menos de 1% dos participantes dos estudos apresentaram efeitos colaterais, como dores de cabeça, reações no local da injeção, fádiga, náuseas, diarreia, erupção cutânea, entre outros.

“A ViiV Healthcare está orgulhosa de que a Apretude foi estudada em um dos mais diversos e abrangentes programas de teste de prevenção do HIV até o momento, que também incluiu alguns dos maiores números de mulheres transexuais e homens negros que fazem sexo com homens já inscritos em um teste de prevenção do HIV. Com a Apretude, as pessoas podem reduzir o risco de adquirir o HIV com apenas seis injeções por ano.” (Deborah Waterhouse, executiva-chefe da ViiV)

A farmacêutica pretende enviar pedidos de aprovação para outras autoridades regulatórias de outros países.

O HIV afeta cerca de 38 milhões de pessoas em todo o mundo, registrando cerca de 1,7 milhão de novos casos a cada ano.