Uma ex-moderadora de conteúdo do TikTok está processando a rede social e sua controladora, ByteDance, por não ter tomado medidas para proteger sua saúde mental. A funcionária era designada a assistir a inúmeras horas de vídeos traumáticos envolvendo canibalismo, estupros, mutilação de animais e suicídios, entre vários outras atividades perturbadoras.

 

Candie Frazier, que era funcionária de uma empresa terceirizada, afirmou à Bloomberg que os moderadores da TikTok trabalham em um ritmo extenuante e são obrigados a revisar centenas de vídeos por dia com poucos intervalos.

Esses moderadores trabalham em turnos de 12 horas, segundo Frazier, e têm apenas uma hora de folga no almoço e dois intervalos de 15 minutos.

Os moderadores muitas vezes precisam assistir a vários vídeos ao mesmo tempo — de três a 10 — e revisar apenas 25 segundos de cada vídeo, disse ela. ByteDance acompanha de perto o desempenho dos moderadores, como relatou o site The Verge, e “pune severamente qualquer tempo que você perca”.

A acusação alega que o TikTok não segue os padrões da indústria para proteger os moderadores de conteúdo, que incluem oferecer a eles pausas frequentes e apoio psicológico, como explicou o The Verge. Frazier também afirma que o TikTok falhou em implementar salvaguardas técnicas, como borrar ou reduzir a resolução dos vídeos que os moderadores precisam assistir.

Por causa de seu trabalho como moderadora de conteúdo, Frazier disse que desenvolveu ataques de pânico e depressão, bem como sintomas associados à ansiedade e transtorno de estresse pós-traumático. Ela também tem problemas para dormir e tem pesadelos horríveis envolvendo o conteúdo que assiste.

Frazier está tentando que TikTok pague a ela e a outros pelos danos psicológicos. Além disso, ela quer que o tribunal force a empresa a criar um fundo médico para moderadores de conteúdo.

O Gizmodo US entrou em contato com o TikTok para comentar o processo no último domingo, mas não recebeu uma resposta até o momento da publicação.

Em um comunicado à Bloomberg, um porta-voz da rede social afirmou que não comenta sobre litígios em andamento. No entanto, afirmou que o TikTok trabalha muito “para promover um ambiente de trabalho atencioso para nossos funcionários e contratados”.

“Nossa equipe de segurança tem parceria com empresas terceirizadas para ajudar a proteger a plataforma e a comunidade TikTok, e continuamos a expandir uma gama de serviços de bem-estar para que os moderadores se sintam apoiados mental e emocionalmente ”, disse o porta-voz.