A pandemia do coronavírus não impediu o Facebook de ir às compras. A rede social anunciou nesta sexta-feira (15) a compra da plataforma de compartilhamento de gifs animados Giphy.

O valor não foi divulgado oficialmente, mas fontes dizem que o valor da operação está na casa dos US$ 400 milhões — o Giphy era avaliado por investidores em US$ 600 milhões, segundo o Axios. A negociação tinha começado antes da pandemia e, segundo o site norte-americano, a ideia era fazer uma parceria entre as empresas, mas acabou rolando uma aquisição mesmo.

Segundo o anúncio do Facebook, a equipe do Giphy passará a fazer parte do time do Instagram, o que parece ser um movimento natural. O Facebook usa a API da plataforma já há um bom tempo, então se você utiliza gifs no Instagram, Facebook e WhatsApp, muito provavelmente eles já vêm do serviço.

O comunicado diz ainda que 50% do tráfego do Giphy é composto pela família de apps do Facebook — metade disso vem apenas do Instagram. Diz a empresa:

“Ao juntar Instagram e o Giphy, podemos tornar mais fácil para que as pessoas achem os melhores gifs e stickers [adesivos] em seus Stories e Direct. Ambos os serviços são grandes apoiadores da comunidade de artistas e criadores, e isso irá continuar. Juntos, podemos tornar mais fácil para qualquer um criar e compartilhar o trabalho deles com o mundo”

Apesar da aquisição, o Facebook relata que o Giphy continuará a operar sua coleção de gifs, e que os usuários vão continuar podendo fazer upload de animações, e desenvolvedores e parceiros que usam a API do serviço continuarão tendo o mesmo tipo de acesso.

Tomara que com a aquisição a rede não queira fazer uma limpa em gifs engraçados relacionados ao CEO do Facebook ou piadas relacionadas aos seus produtos.

via GIPHY

[Axios e Facebook]