Os esforços do Facebook de limpar o conteúdo em seu site não vão bem. E os de limpar a energia que abastece suas enormes operações de dados? Estão indo muito que bem.

A gigante das redes sociais anunciou na terça-feira (28) que planeja usar energia 100% renovável em 2020, ao mesmo tempo reduzindo suas emissões de gases de efeito estufa em 75%.

• Guerra do Facebook contra as mentiras não está indo bem, dizem responsáveis por checagem de fatos
• O Facebook Watch já está disponível em todo o mundo, inclusive no Brasil

O Facebook consome uma quantidade monstruosa de energia. Para manter esses vídeos de reprodução automática prontos para você curtir e compartilhar, seus datacenters tem que funcionar a todo vapor 24 horas por dia, sete dias por semana. A empresa usou 2,46 milhões de megawatts-hora de energia em 2017, o equivalente ao uso anual de quase 342 mil lares americanos. Desses, 95% foram consumidos por datacenters.

A empresa já deu passos largos no sentido de garantir que sua energia venha de fontes renováveis, comissionando projetos eólicos e solares que, de outra forma, não teriam sido construídos, segundo um porta-voz da empresa. Esses projetos representaram 51% de toda a energia que o Facebook usou em 2017 (essa energia renovável vai para a rede, então não é completamente certo dizer que o Facebook é 51% abastecido por energias renováveis), colocando a companhia acima de seu objetivo de 50% de energia renovável para 2018. A segunda maior fonte de energia que o Facebook usa é carvão, com 18%, seguida por energia nuclear e de gás natural.

No entanto, essa mistura segue mudando para energias renováveis em 2018, com a empresa financiando um gigawatt de energia renovável neste ano. O maior aumento virá da limpeza das operações do datacenter em Prineville, no Oregon, a maior fonte de poluição por carbono da empresa. O Facebook atualmente está construindo ou financiando seis projetos de energia renovável em escala no Oregon e em Utah para ajudar a equilibrar as emissões atualmente necessárias para manter os datacenters funcionando.

Se a empresa alcançar seu objetivo de energia 100% renovável, ela ainda terá um pouco de poluição por carbono para limpar. O Facebook emitiu 979 mil megatons de dióxido de carbono — o equivalente ao emitido por 213 mil carros — em 2017, de acordo com seu relatório de sustentabilidade corporativa. Viagens diárias, viagens corporativas e a construção de novos edifícios são outras áreas em que o Facebook pode diminuir sua emissão de carbono. O porta-voz da empresa disse ao Earther que outras fontes de gases de efeito estufa da empresa incluíam o gás natural, para cozinhar e para aquecer os escritórios, e o diesel, para operar geradores em seus datacenters.

Mas o Facebook parece comprometido a fazer o trabalho. E, sinceramente, todos os incentivos estão aí. Tudo isso é questão de a economia com energia renovável ficando mais barata a cada dia. Além disso, quem diabos vai usar o Facebook se todos formos devastados pela mudança climática?