Facebook vai substituir sistema que sugere marcar amigos em fotos

Facebook vai implementar nova ferramenta de reconhecimento facial, alertando usuários sobre a tecnologia e permitindo que ele escolha habilitá-la ou não.

Crédito: Sean Gallup/Getty

O Facebook diz que está abandonando uma ferramenta de escaneamento de rostos e introduzindo uma implementação mais ampla de outra – desta vez, avisando os usuários primeiro.

A configuração de sugestões de tags – ou aquela que permite aos usuários marcar facilmente seus amigos em fotos com base nas recomendações de nomes geradas pelo Facebook – não estará mais disponível, de acordo com uma nova postagem no blog de Srinivas Narayanan, líder de pesquisa aplicada do Facebook AI.

Em vez disso, agora todos terão acesso à configuração de reconhecimento facial que a empresa lançou inicialmente para alguns usuários em 2017 e que a empresa alegou ser usada para reforçar a segurança, como alertar os usuários quando eles aparecerem em uma foto que eles não estão marcados ou quando alguém possa estar usando a foto de um usuário em seu próprio perfil.

Narayanan observou que, com a implementação da ferramenta de reconhecimento facial do Facebook para aqueles que não a possuíam anteriormente, os usuários verão um aviso no feed de notícias sobre como a ferramenta funciona e como é usada pela empresa. O aviso também incluirá um botão para ativar ou desativar o recurso, e o Facebook diz que não ativará o reconhecimento facial por padrão para as pessoas que estão ganhando acesso só agora e não optarem por participar.

“Se você atualmente não possui a configuração de reconhecimento facial e não fizer nada, não usaremos o reconhecimento facial para identificá-lo ou sugerir tags”, disse Narayanan. “Além disso, recursos como o Photo Review, que permite que você saiba quando você aparece em fotos, mesmo que não esteja marcado, desde que tenha permissão para ver a postagem com base em sua configuração de privacidade, não será ativado. As pessoas ainda poderão marcar amigos manualmente, mas não vamos sugerir que você seja marcado se você não tiver o reconhecimento facial ativado. Se você já possui a configuração de reconhecimento facial, não receberá um aviso”.

As sugestões de tags foram usadas para sugerir nomes para os amigos dos usuários no Facebook. A empresa disse que os usuários que tinham o recurso ativado agora terão reconhecimento facial por padrão e serão notificados sobre essa mudança e como ele funciona.

Se toda essa transparência sobre privacidade de dados e educação sobre suas políticas parecer estranhamente altruísta, pense novamente. Parte do motivo pelo qual o Facebook decidiu lançar esta atualização agora pode ter a ver com o enorme acordo de US$ 5 bilhões firmado com a Federal Trade Commission em julho (embora ainda esteja pendente de aprovação).

Quando perguntado sobre o momento do anúncio, um porta-voz disse ao Gizmodo:

Este trabalho é a última fase de uma reprovação planejada há muito tempo da configuração Sugestões de Tags. Para dar um contexto, o esforço de 2017 foi o resultado de mais de dois anos de trabalho. Durante esse período, trabalhamos para melhorar a experiência de lançamento com base no feedback das pessoas, stakeholders de privacidade e órgãos reguladores. A decisão da FTC ainda está pendente de aprovação, mas conforme nossa publicação anterior, concordamos com uma estrutura de privacidade mais abrangente que determina como construímos nossos produtos. O reconhecimento facial faz parte dessa conversa.

Como parte de uma reclamação da FTC sobre a empresa, a agência alegou que o Facebook violava a privacidade do usuário de inúmeras maneiras, inclusive enganando os usuários sobre suas práticas de políticas de reconhecimento facial e – surpresa! – o recurso de sugestões de tags da empresa, ativado por padrão em contas de usuário. Por fim, o Facebook recebeu uma ordem para adotar uma série de novas medidas em torno de sua tecnologia de reconhecimento facial, incluindo educar os usuários sobre como ela funciona e exigir que a empresa obtenha seu consentimento caso os dados sejam usados ​​por razões além do explicitamente descrito pela empresa.

“Planejado por muito tempo” ou não, notificar os usuários sobre o uso de uma tecnologia que muitos deles podem não ter entendido anos após ter sido implementada parecer certo para uma empresa que falha continuamente em manusear dados de usuários.

Sair da versão mobile