Em um futuro próximo, você poderá dar match com outros usuários do Facebook. Quer dizer, é preciso que os testes realizados pela rede social corram bem. A pesquisadora independente Jane Manchun Wong, que tem descoberto diversas funcionalidades do site ao vasculhar seu código-fonte, publicou algumas imagens do tal recurso de relacionamentos do Facebook.

• Facebook testa recurso para enviar um “oi, sumida” sem constrangimentos
• O Facebook simplesmente fez seu próprio Tinder

De acordo com o Verge, a empresa confirmou que a funcionalidade está sendo testada dentro do aplicativo do Facebook, mas se recusou a dar detalhes. Mas as próprias telas publicadas por Wong explicam bem o que está rolando neste momento.

Trata-se de um teste liberado para os funcionários que optaram por participar dos programas batizados de “dogfooding” – expressão usada para encorajar funcionários a testarem os próprios produtos.

“O propósito deste teste é verificar a experiência de ponta-a-ponta para bugs e interface de usuário confusa. Este app não é voltado para marcar encontros com seus colegas de trabalho”, aponta o texto de cadastro no serviço. Ainda assim, há um lembrete de que as políticas antiassédio da companhia se aplicam ao produto.

A intenção do Facebook é usar os funcionários como cobaias, utilizando dados falsos em seus perfis. De acordo com a empresa, todas as informações colocadas ali serão deletadas antes do lançamento final.

As outras capturas de tela revelam um aplicativo de encontros bem similar ao Tinder e a outros serviços. O usuário inclui seu gênero, localização, quais gêneros está interessado em ver e depois escolhe quem pode visualizar o perfil – dá para bloquear atuais amigos e permitir apenas amigos em comum, por exemplo.

O aplicativo de namoro do Facebook não é exatamente uma novidade. Em setembro do ano passado, a rede social testou um recurso similar no Messenger, mas os escândalos de privacidade parecem ter enfraquecido essa ideia. Tanto que, durante a F8 2018, conferência de desenvolvedores do Facebook realizada em maio, Mark Zuckerberg anunciou a intenção de lançar um recurso de encontros, mas com “promessa de privacidade”.

Na ocasião, foi anunciado que os recursos de namoro seriam opcionais e que haveria uma página dedicada aos encontros dentro do aplicativo do Facebook. Ao criar um perfil de namoro, o usuário poderia navegar por eventos e grupos do Facebook na página inicial do novo recurso e desbloquear aqueles em que tivesse interesse.

• Tinder não fez as pessoas transarem mais, aponta estudo

Depois de desbloqueadas, outras pessoas que usam o serviço de encontros e que desbloquearam os mesmos grupos ou eventos poderiam ver o perfil e iniciar uma conversa e vice-versa. Só seria permitido texto nessa conversa (supostamente, para impedir a transmissão de fotos indesejadas ou spam), e ela não estaria conectada ao Messenger nem ao WhatsApp.

Zuckerberg disse que sua intenção não é criar simplesmente um aplicativo para “peguetes”, mas ajudar a construir “relacionamentos reais de longo prazo”. Levando em consideração os últimos resultados financeiros da rede social, Zuck está doido para ter mais gente no mundo.

[The Verge]

Imagem do topo: Alessandro Feitosa Jr./Gizmodo Brasil