O velho Firefox, que completa 11 anos no próximo dia 9, teve a festa de aniversário adiantada pela Mozilla. A desenvolvedora do navegador apresentou hoje uma atualização do browser com uma nova forma de navegação privada chamada Tracking Protection.

Navegando neste modo, o Firefox bloqueia algumas propagandas, rastreadores e botões de compartilhamento em redes sociais. O objetivo é reduzir os elementos que podem monitorar os hábitos de navegação do usuário.



“Que fique claro, nós não colocamos um ad-blocker [bloqueador de publicidade] no navegador. Apenas estamos dando mais controle ao usuário”, disse Nick Nguyen, vice-presidente de produto da Mozilla, em conversa por telefone ao Gizmodo Brasil.

privatebrowsing

Com essa funcionalidade, a Mozilla ainda promete abrir páginas mais rápidas, já que bloqueia algumas propagandas. Na prática, durante a navegação em portais brasileiros, a suposta rapidez foi imperceptível (talvez comece a fazer efeito ao abrir uma nova página com 15 abas abertas). Sobre o “bloqueio de publicidade de terceiros”, até que funcionou bem, especialmente banners. Se você aderir, vez ou outra vai notar que há alguns buracos em uma página. Não estranhe. Segundo a empresa, se a propaganda não desaparecer é porque está hospedada no mesmo domínio da página.

Caso você sinta falta dos buracos de banners na navegação privada, basta ir no que a Mozilla chama de central de controle. O recurso fica ao lado esquerdo da barra de endereços e mostra detalhes da página (por exemplo: se usa criptografia ou elementos de monitoramento). Clique na opção “desabilitar proteção para esta sessão”.

Navegando no “Tracking Protection”, as únicas informações salvas pelo navegador são arquivos que o usuário eventualmente baixar ou sites marcados como favorito. Sobre histórico, resultados de buscas, cookies e arquivos temporários, a empresa diz que não guarda nada. Porém, ressalta, que a navegação pode ser ainda monitorada pelo seu empregador e seu provedor de internet.

A medida da Mozilla é interessante, pois vai um pouco mais fundo na questão da “navegação anônima”. Esse modo em outros browsers acaba sendo uma forma de não guardar o histórico — no fim das contas, o usuário acaba sendo “monitorado” através de cookies que o identificam.

Além dessas mudanças, o navegador traz melhorias para o gerenciamento de login e traz a opção de “desligar” abas que estejam tocando música.

Para ter acesso ao novo Firefox 42, basta atualizar o navegador em seu PC, Mac e Linux que ele faz o processo automaticamente, se você estiver conectado à internet. No máximo, vai pedir para você reiniciar o browser.

[Mozilla]