Ninguém gosta de anúncios, e o Firefox está comprando essa briga. Na sexta-feira (5), a Mozilla anunciou que lançará uma versão premium de seu navegador Firefox com artigos e notícias sem publicidade – e algumas outras funcionalidades – por US$ 5 (R$ 19) por mês.

Em seu site, a Mozilla escreve que a versão premium permitirá que você “apoie os sites que você ama e evite os anúncios que você odeia”.



Mas como eles planejam fazer isso? A companhia diz que fez parcerias com alguma das “maiores publicações do mundo”, então os US$ 5 mensais serão compartilhados com sites de notícias selecionados.

Basicamente, os sites ganham uma grana, a Mozilla ganha uma grana e os anúncios dessas páginas somem – tanto no celular quanto no computador.

A “experiência livre de anúncios” parece ser resultado de uma parceria anunciada anteriormente pela Mozilla e a Scroll, um serviço que oferece notícias sem anúncios em sites como BuzzFeed e USA Today. O Gizmodo americano também é parceiro da Scroll.

O Gizmodo pediu esclarecimentos sobre o acordo de divisão de receitas e uma lista completa de publicações parceiras da Mozilla, mas a empresa recusou a comentar, dizendo apenas que não estava testando um preço para acessar o Firefox em si e que uma opção gratuita sempre estará disponível.

Além de uma navegação sem anúncios, a Mozilla prometeu para os assinantes algumas outras vantagens. Para começar, o Firefox premium dará acesso a versões em áudio dos artigos, e será possível sincronizar os favoritos entre os dispositivos.

Haverá ainda uma lista “exclusiva de leituras altamente recomendadas” e um aplicativo que “te ajuda a encontrar e terminar ótimos conteúdos”. E se você for interrompido no meio de um artigo, o navegador permitirá que você continue de onde parou, independente de qual dispositivo você usar. Ou seja, se você começar a ler algo em seu computador, poderá continuar exatamente do mesmo lugar quando pegar o celular – ou se preferir, continuar ouvindo enquanto dirige para casa.

Tudo isso é parte de um esforço maior do Firefox para explorar maneiras novas e menos dependentes de anúncios publicitários para financiar o conteúdo da internet. Em fevereiro, a Mozilla publicou um texto detalhando o projeto. Nele, a companhia destacou que o teste de produtos seria aberto a um pequeno grupo de usuários do navegador.

Na época, eles também falaram do Scroll – que oferece muitas das funcionalidades da versão premium do browser, incluindo a sincronização do ponto de leitura e as versões de áudio.

Agora parece ser uma boa hora para a Mozilla testar se seus usuários irão abraçar a ideia de um navegador premium com menos anúncios – especialmente se levarmos em conta que o Google bateu o pé sobre seus planos de bloquear anúncios. Em janeiro, o Google anunciou que estava eliminando uma API utilizada por muitos bloqueadores de anúncios e extensões de privacidade.

O Google tentou se safar da repercussão negativa e das afirmações de que estava tentando acabar com os bloqueadores de anúncios de terceiros dizendo que aquilo era uma mera tentativa de torná-los mais seguros. Ainda assim, algumas pessoas mais céticas ficaram inclinadas a acreditar que o Google estava tentando fazer o seu próprio bloqueador de anúncios para mergulhar ainda mais nos lucros vindos de publicidade e ter o seu próprio serviço de bloqueio.

Se você está interessado em testar o Firefox premium, é possível se cadastrar no site da Mozilla respondendo a um pequeno questionário. Neste momento, não há previsão concreta para quando o beta será lançado, mas ao se cadastrar você será notificado. Ainda não está claro como o serviço funcionaria em sites brasileiros.