A Fitbit é conhecida por seus dispositivos que acompanham a atividade física do usuário. Eles anunciaram seu último produto há um ano, e agora estão prontos para revelar sua mais recente linha de pulseiras: o novo Fitbit Charge, Charge HR e Surge. Vamos dar uma olhada neles.

Fitbit Charge

Esta pulseira de silicone possui uma tela OLED azul, que exibe quantos passos você deu, a distância total estimada e calorias queimadas. Ele também possui altímetro e sabe quantos degraus de escada você subiu. Você alterna entre os números usando o botão à esquerda.

O Charge ainda serve como relógio e cronômetro. Só tome cuidado ao usá-lo na água: ele é resistente a até 1 ATM, mas não é à prova d’água.

Ele também acompanha seu sono para mostrar o quanto você dorme (ou não), e quanto tempo você fica se movendo na cama. O Charge detecta automaticamente quando você dorme, em vez de exigir um toque de botão; e pode despertar você vibrando no pulso.

Você também pode parear o Charge com o smartphone através de Bluetooth para visualizar os dados coletados pela pulseira. Isso também permite receber notificações de chamadas: não dá para atender nem rejeitar ligações, mas é um recurso bacana. A bateria dele dura até sete dias, segundo a Fitbit.

Esta é uma evolução do Fitbit Force, que passou por um recall este ano após surgirem casos de alergia ao níquel e ao adesivo presentes na superfície do produto. A Fitbit diz que resolveu tudo isso: as novas pulseiras não têm mais adesivos expostos e usam menos aço inoxidável (que pode levar níquel ao ser produzido).

O Fitbit Charge custa US$ 130 e está disponível hoje mesmo nas cores preto e cinza; as cores azul e vinho estarão disponíveis futuramente.

fitbit charge hr (1)
Fitbit Charge e Charge HR

Fitbit Charge HR

O Charge HR é quase igual ao Fitbit Charge, mas possui um monitor embutido de frequência cardíaca. Isso permite acompanhar seu gasto de calorias, mesmo quando você não estiver fazendo exercícios físicos.

Assim como outros sensores cardíacos para o pulso, o Charge tem um par de LEDs e uma pequena câmera infravermelho, que detectam mudanças na quantidade de bombeamento de sangue através do seu braço. A Fitbit diz que a bateria do Charge HR dura até cinco dias.

O Charge HR está disponível em pré-venda por US$ 150, nas cores preto, roxo, azul e laranja. Ele será lançado no início de 2015.

Fitbit Surge

Por último, porém não menos importante, temos o Fitbit Surge. Trata-se de um relógio inteligente, mas talvez não o smartwatch que você esperaria: a empresa diz que este é um “super-relógio para atividade física”, projetado para a prática de corrida.

Ele vem com todos os recursos do Charge HR, incluindo o monitor de frequência cardíaca; e ele traz GPS embutido para acompanhar suas rotas. (São oito sensores no total.) Já é possível acompanhar suas rotas com o GPS do seu smartphone e o app da Fitbit, mas com o Surge você pode deixar o celular em casa. Sua bateria dura até sete dias.

Mas como um smartwatch, o Surge parece bem limitado. Você só recebe notificações de chamadas e SMS, e pode tocar/pausar a música do celular usando a touchscreen de LCD. Ele terá um confronto interessante com o Base Peak, da Intel, que custa US$ 199 e também traz muitos sensores e notificações do smartphone.

O Charge HR está disponível em pré-venda por US$ 250, nas cores preto, azul e laranja. Ele será lançado no início de 2015.

Se você não se interessou por nenhum deles, a Fitbit ainda vende modelos antigos: o Zip e o One, pedômetros que se prendem à roupa; e a pulseira Flex, que não tem altímetro nem visor OLED (apenas luzes LED para indicar se você atingiu uma meta pré-estipulada). Ou seja, a Fitbit vai vender seis diferentes monitores de atividade física a partir do ano que vem.