O furacão Matthew é um dos temporais mais poderosos a passar pelo Caribe em mais de uma década. Já foram registradas mais de 300 mortes no Haiti e pelo menos 4 na República Dominicana. O furacão deslocou dezenas de milhares de pessoas pelo Caribe, incluindo nas Bahamas e em Cuba.

• El Niño fez nosso planeta ultrapassar mais um grande marco climático
• O impacto do furacão Patricia, ciclone tropical mais forte já registrado

Conforme o temporal passa pelo Caribe e segue em direção à costa leste dos EUA, as autoridades começam a perceber o tamanho da destruição causada pelo furacão. De acordo com o representante especial das Nações Unidas para o Haiti, Haiti Mourad Wahba, mais de 10 mil haitianos estão em abrigos e hospitais superlotados. A organização também estima que 350 mil haitianos precisam de assistência imediata, o que torna esta a pior crise humanitária desde o terremoto que devastou o país há seis anos.

Imagens aéreas filmadas pela ABC News mostram o tamanho da devastação, como as centenas de casas que foram destruídas no sudeste do Haiti. A ONU já enviou equipes de socorro para ajudar a limpar estradas, e a fornecer outros serviços para as pessoas afetadas pelo temporal.

Em Cuba, mais de 377 mil pessoas foram evacuadas de áreas de risco. O país moveu dezenas de milhares de pessoas para áreas seguras e também tomou medidas preventivas para reforçar a infraestrutura contra ventos fortes, chuvas, ressacas e inundações.

O furacão Matthew caiu nesta sexta-feira (7) para a categoria 3, perto do litoral da Flórida, nos Estados Unidos, onde se aproxima com ventos máximos de 195 km/h.