O Instituto Meteorológico Dinamarquês (DMI) informou nessa quarta-feira (22), que a Groenlândia registrou nos últimos dias temperaturas de 20 e até 30 graus acima da média para esta época do ano.

A capital, Nuuk, registrou 13 °C no dia 20 de dezembro, quando a temperatura média costuma ser de -5,3 °C. Em Qaanaaq, ao norte, o termômetro chegava a 8,3 °C quando a média é de -20,1 °C nessa época do ano.

O que tem chamado atenção nessas altas da temperaturas é que tem acontecido em mais áreas que o normal, geralmente essa mudança climática acontece em pontos específicos.

“Uma das razões pelas quais vemos altas temperaturas é o fenômeno meteorológico de ‘foehn'”, um vento quente bastante comum na ilha, explicou à AFP Caroline Drost Jensen, climatologista do DMI. No entanto, não é normal “que ocorra em uma área tão vasta e simultaneamente durante um longo período de tempo”, acrescentou.

Apesar disso, não é um fenômeno inédito, segundo a especialista, já que não foram ultrapassados os registros absolutos de temperaturas máximas ou dos últimos 30 anos para o mês de dezembro.

No Ártico, o aquecimento é três vezes mais rápido do que em qualquer outro lugar do mundo.

Assine a newsletter do Gizmodo

“O aquecimento global está por trás das altas temperaturas que vemos atualmente na Groenlândia e geralmente a torna mais altas do que no passado”, conclui Caroline Drost Jensen.

No verão passado, uma onda de calor provocou um episódio de degelo “maciço” da calota polar, com perdas de 8.000 toneladas de gelo por dia, o dobro da média do verão. E em agosto, a chuva chegou ao pico mais alto da Groenlândia (3.216 metros), algo nunca visto antes.