“Ticket to Paradise”, nova comédia romântica estrelada por Julia Roberts e George Clooney, teve suas gravações suspensas devido a um surto de Covid-19. De acordo com informações da revista Variety, ainda não está claro exatamente quando as filmagens poderão retornar. 

Ainda segundo a Variety, o filme começou a ser produzido no ano passado em vários locais do estado australiano de Queensland, e estava a apenas duas semanas de ser concluído. Notícias locais dizem que as filmagens serão paralisadas por três meses, mas não está claro exatamente quando retomarão os trabalhos.

O hiato de “Ticket to Paradise” se dá pela quantidade elevada de pessoas ligadas à produção infectadas pela variante ômicron nas últimas semanas — incluindo algumas que trabalhavam na proximidade das duas estrelas hollywoodianas.

Por conta da pausa na produção, George Clooney e Julia Roberts voltaram para os Estados Unidos. Outro site, o Daily Mail Austrália, disse que Clooney raspou a barba que ele havia deixado crescer especialmente para o filme, partiu em um voo para Honolulu e depois pegou outro avião para a Califórnia.

“Ticket to Paradise” é o terceiro trabalho conjunto da dupla, que já brilhou em “11 Homens e Um Segredo” e “Jogo do Dinheiro”. Dirigido por Ol Parke (“Mamma Mia”), o filme segue dois pais divorciados que correm para Bali, na Indonésia, para impedir que sua filha adolescente se apresse para um casamento imprudente, assim como o deles. A produção faria uso das Ilhas Whitsunday, substituindo Bali, enquanto outros locais incluíam Brisbane e a vizinha Gold Coast, na Austrália.

A Universal havia inicialmente programado “Ticket to Paradise” para ser lançado nos cinemas em 30 de setembro de 2022, mas alterou o cronograma para 21 de outubro de 2022. No entanto, a interrupção pode colocar a nova data em dúvida.

“Ticket to Paradise” é a quarta grande produção que tem suas gravações interrompidas devido ao aumento dos casos de Covid-19. Anteriormente “Jurassic World”, “Batman” e “Missão Impossível 7” já haviam suspendido suas filmagens.

Covid na Austrália

O país virou referência mundial pela agilidade em implementar medidas para contenção de danos durante a pandemia. Os rígidos controles de fronteira também mantiveram afastadas as variantes anteriores do coronavírus.

Agora, com a variante ômicron elevando o número de contágios por ser mais transmissível, o número de casos na Austrália aumentou novamente. Queensland, por exemplo, reabriu suas fronteiras internas em meados de dezembro, um movimento que foi seguido por um aumento acentuado nas infecções.

As autoridades relataram o maior nível de fatalidades do estado na onda ômicron, com 16 mortes e quase 16.000 novos casos. Mas com altos níveis de vacinação (mais de 88% da população com mais de 16 anos do estado recebeu duas doses), as autoridades de saúde locais estão relatando baixos números de internações.