Uma arrecadação de fundos do GoFundMe para uma cirurgia de emergência de um filhote de pastor-alemão teria recebido quase 700 doações ao longo de 28 dias, totalizando US$ 14.065 (mais de R$ 47 mil). Mas a polícia agora diz que o dono do cachorro causou intencionalmente os ferimentos, e o GoFundMe prometeu reembolsar os doadores. O cão de cinco meses de idade, Atlas, morreu no dia 3 de fevereiro.

Os 9 maiores fracassos de financiamento coletivo de 2015
Projeto do Kickstarter é cancelado porque criador gastou todo o dinheiro

Quando o dono do cão, Reid M. Herjo, de 24 anos, foi parado pela polícia em Medford, Nova Jersey, em janeiro, ele disse que Atlas precisava ir ao veterinário depois de ser atropelado por um quadriciclo, de acordo com o Courier-Post. Porém, alguns dias depois de a polícia pará-lo, eles receberam uma pista de que Herjo havia machucado o cachorro de propósito, levando-os a abrir uma investigação.

Investigadores dizem que descobriram que Atlas havia sido abusado pelo menos duas outras vezes em seis semanas, o que levou a fraturas e hemorragia. Herjo supostamente disse que o cachorro caiu das escadas e de uma colina. Segundo a polícia, o cão então morreu “sob circunstâncias suspeitas, pois havia evidências de que Atlas sofrera trauma adicional”, noticia o NJ.com. Reid foi acusado de crueldade contra animais e roubo por engano.

Um porta-voz do GoFundMe disse ao Courier-Post que todos os doadores seriam reembolsados, já que Herjo havia violado os termos de serviço do site. Herjo também foi banido da plataforma, e o site de crowdfunding diz estar trabalhando em conjunto com os investigadores.

“O uso indevido é extremamente raro em nossa plataforma”, disse o porta-voz. “Campanhas com uso indevido são menos de 10% de todas as campanhas. Dito isso, existem exemplos infelizes e raros em que pessoas criam campanhas com a intenção de tirar vantagem da generosidade dos outros. Nos poucos casos em que ocorre uso indevido, o GoFundMe age para resolver o problema.”

[Courier-Post via Patch]