O Google Deepmind criou uma inteligência artificial capaz de jogar Go – considerado o mais desafiador para uma AI aprender – e ela é tão boa que conseguiu derrotar Lee Sedol, até então o campeão mundial desse jogo.

>>> Google vence Facebook em corrida para marco histórico da inteligência artificial



Trata-se de um campeonato melhor-de-cinco, e o algoritmo AlphaGo venceu neste sábado (12) pela terceira vez. Ainda assim, todas as partidas serão realizadas para definir o placar final da disputa.

Nesta terceira partida, o AlphaGo ganhou por renúncia depois de 176 movimentos. Sedol usou o limite máximo de duas horas e precisou entrar na prorrogação, chamada de byō-yomi. Enquanto isso, a inteligência artificial ainda tinha 8min31s restantes no relógio.

No Go, os jogadores colocam pedras pretas e brancas em um tabuleiro 19 x 19, e cercam peças do adversário para capturá-las. O objetivo é controlar pelo menos 50% do tabuleiro. (Confira todas as regras neste link.)

Sedol usou algumas táticas inovadoras para criar um tudo-ou-nada (chamado kō) e complicar a situação, só que o AlphaGo ganhou. Michael Redmond, comentarista de Go, disse em comunicado:

Nos dois primeiros jogos, Lee Sedol estava jogando diferente do seu verdadeiro estilo, tentando encontrar uma fraqueza no computador. Hoje, Lee definitivamente jogou o próprio jogo, desde a sua abertura forte até os complicados movimentos no kō final.

O AlphaGo estava pronto para tudo, incluindo as lutas kō, e foi capaz de conquistar a vitória. Eu gostaria de parabenizar as pessoas que tornaram esta realização possível, porque esta é uma obra de arte.

A26U4088
Demis Hassabis, CEO da Google Deepmind; Lee Sedol; e o cofundador do Google, Sergey Brin

Este é mais um divisor de águas para a inteligência artificial. Em 1996, o supercomputador Deep Blue da IBM derrotou o grande mestre do xadrez Gary Kasparov, lidando com 10^60 situações possíveis de tabuleiro. Enquanto isso, o AlphaGo precisou navegar por 10^700 situações possíveis. Pesquisadores tentam ensinar Go para computadores há mais de vinte anos.

Como explicamos por aqui, essa conquista histórica é importante porque terá impacto sobre a forma como os computadores analisam uma sequência de ações. Isso vai ajudar os programas de inteligência artificial a navegar através da lógica – algo importante para empresas como Google e Facebook.

Com a vitória do AlphaGo, o Google vai doar US$ 1 milhão para a Unicef, para instituições que promovem educação STEM (ciência, tecnologia, engenharia e matemática) e para organizações do jogo Go.

O campeão já foi coroado, mas a disputa ainda não acabou: as próximas partidas serão realizadas no domingo (13) e terça-feira (15).

[Google]


Fotos por Jaro Larnos/Flickr e Google