O antigo jogo de Go é considerado o mais desafiador para uma inteligência artificial aprender. Ainda assim, a AI do Google Deepmind ganhou mais uma vez do campeão mundial de Go, Lee Sedol.

O jogo consiste em colocar pedras pretas e brancas em um tabuleiro 19 x 19, e cercar peças do oponente para capturá-las. O objetivo é controlar pelo menos 50% do tabuleiro. Você pode aprender mais sobre as regras visitando este link (em português).

O primeiro jogo, realizado nesta quarta-feira (9), foi descrito como “acirrado” pelo Google porque Sedol apostou em uma estratégia agressiva. Enquanto isso, no segundo jogo, Sedol resolveu ser mais conservador, o que também não deu certo.

Cada um dos oponentes usou o limite máximo de duas horas e foi necessário entrar na prorrogação, chamada de byō-yomi. O AlphaGo ganhou por renúncia depois de 211 movimentos. Yoo Changhyuk, comentarista de Go, explicou em uma conferência à imprensa após o jogo:

Durante o primeiro jogo, Lee Sedol fez movimentos difíceis para perturbar o AlphaGo, mas não conseguiu. Hoje, ele tentou o oposto – ele jogou seguro e pensando no objetivo final. Enquanto usava seus períodos byō-yomi, ele cometeu alguns erros, que na minha opinião causaram a derrota.

Caso Sedol vire o jogo e saia campeão, ele vai levar um prêmio de US$ 1 milhão. Senão, o Google vai doar esse valor para instituições de caridade como a Unicef.

Trata-se de um campeonato melhor-de-cinco, ou seja, as chances de uma vitória para Sedol estão cada vez menores. Ele terá que vencer todas as próximas partidas – previstas para os dias 12, 13 e 15 de março – para derrotar o algoritmo AlphaGo. Todas as partidas serão realizadas, mesmo que Sedol perca, para definir o placar final da disputa.

[Google]


Foto por Bill Hails/Flickr