O Google não vai mais usar o WebKit como engine do Chrome e, em vez disso, criará um novo motor chamado Blink para seu browser.

Inicialmente o Blink será baseado no WebKit, mas, no futuro, as duas engines serão duas coisas completamente diferentes. A nova engine será “sobre velocidade e simplicidade” e vai começar a dar as caras em breve – em um futuro bem próximo ela será incluída no Chromium e, depois, no próprio Chrome.

Em um post no blog oficial do projeto Chromium, o engenheiro do Google Adam Barth explicou o que motivou a troca:

“… o Chromium usa uma arquitetura de multiprocessamento diferente de outros browsers baseados no WebKit, e dar suporte a múltiplas arquiteturas ao longo dos anos aumentou a complexidade tanto do WebKit quanto do Chromium. Isso diminuiu a velocidade da inovação – portanto, hoje estamos apresentando o Blink, uma nova engine de renderização de código aberto baseada no WebKit”

Assim, com a nova engine, o Google quer reduzir a complexidade na hora de desenvolver o Chromium para aumentar a velocidade das novas implementações.

Não faz muito tempo que o Opera anunciou que usaria o WebKit. Mas, mais do que o WebKit, aparentemente o navegador vai usar o Blink. Em um post em seu blog pessoal, Bruce  Lawson, empregado da empresa, dá as boas-vindas à engine e diz que ela estará no browser. E, ao TechCrunch, a empresa confirmou a intenção de colaborar com o projeto:

“Estamos felizes de ver que a web está se tornando ainda mais aberta e acessível para desenvolvedores. É uma plataforma que avança rapidamente e precisa de atualização rápida e contínua. Após algumas discussões com nossa contraparte do Google, estamos ansiosos para contribuir para o projeto de código aberto que é o Blink, assim como faríamos com qualquer outro projeto de código aberto que achamos que poderíamos contribuir.”

Em um primeiro momento, a mudança não deve afetar desenvolvedores – afinal, o Blink é baseado no WebKit. Mas a longo prazo os projetos vão se diferenciar, e sites criados com o WebKit em mente podem não funcionar tão bem no Blink. [TechCrunch, The Verge, Bruce Lawson, Chromium Project]