Eis uma mudança no Google Chrome que deixou muita gente surpresa: em 60 países, o browser agora incluiu a opção de se usar o motor de buscas pró-privacidade DuckDuckGo.

A mudança, percebida pelo TechCrunch, foi incluída no Chromium 73, a recém lançada versão do motor Chromium que é a fundação de código-aberto do navegador Chrome e de diversos outros browsers.

Inicialmente, foi uma adição discreta, sem nenhum anúncio. Mas a mudança recebeu muita atenção assim que foi lançada para o público. Um porta-voz do Google explicou que “começando pelo Chrome M73, atualizamos a lista de motores de busca padrão disponíveis nas configurações do navegador. A nova lista é baseada na popularidade de motores de busca em diferentes locais, determinada a partir de dados disponíveis publicamente”.

A iniciativa do Google acontece justamente em um momento em que as empresas do Vale do Silício têm enfrentado críticas por privacidade, regulamentação e pedidos de processos antitruste.

Na Europa, a situação já foi além da falação: no ano passado, reguladores antitruste aplicaram uma multa recorde de US$ 5 bilhões por atividades monopolistas.

No mês passado, o Federal Trade Commission (FTC) iniciou uma nova força tarefa focada na indústria da tecnologia.

Em um ambiente cada vez mais hostil, ser gentil com competidores pode ser uma maneira de atenuar as críticas que devem vir por aí. O pessoal do DuckDuckGo está contente por ter sido adicionado.

“Estamos felizes que o Google finalmente reconheceu a importância de oferecer aos consumidores uma opção de buscas privadas no Chrome”, disse um porta-voz do DuckDuckGo ao Gizmodo.

O motor de buscas pró-privacidade tem 11 anos de idade e um bilhão de buscas mensais, de acordo com a empresa. Ninguém fora do Google sabe exatamente o número de buscas feitas no maior player deste mercado, mas os números estão pelo menos na faixa dos trilhões por ano, de acordo com um comunicado publicado pelo próprio Google em 2016.

O motor de buscas pró-privacidade francês Qwant também foi adicionado na França. A resposta da companhia foi um pouco mais ousada:


É uma brincadeira, mas obrigado novamente pelo Chrome73, eu estou realmente grato por isso, sinceramente. Ainda assim, recomendo o Firefox e o Brave. Eric Leandri reage à integração do Qwant aos motores de buscas disponíveis no Chrome.