Quando o Google demonstrou o Project Glass pela primeira vez, a empresa disse que seus óculos futuristas só estariam prontos para consumidores em 2014. Mas talvez eles cheguem ao mercado ainda este ano.

Segundo o The Verge, o Google tem por objetivo lançar o Project Glass para consumidores até o final deste ano. A empresa também diz que o Google Glass custará “menos de US$ 1.500” quando chegar ao mercado.

Quem estava presente no evento Google I/O no ano passado pôde reservar um Google Glass por US$1.500. E agora, os óculos estarão disponíveis para “indivíduos criativos” através da página #ifihadglass, também por US$ 1.500.

O Google mostrou recentemente como funciona a interface do Glass, comandada por voz. Ela também pode ser controlada por toque, através de um touchpad na lateral do dispositivo.

GoogleGlass_12Joshua Topolsky, do The Verge, pôde testar o Glass e tirar algumas dúvidas sobre o aparelho. Por exemplo, como ele faz a conexão à internet? O que acontece quando ele fica sem internet? E como é usá-lo?

Para Topolsky, usar o Glass é “meio que incrível”: você pode ver mensagens e e-mails sem se distrair, e pode respondê-los tocando na lateral do dispositivo (ou levantando a cabeça) para então ditar a resposta – o Glass coloca em texto e envia. Isso também facilita obter e usar rotas em mapas. Você não se distrai na rua olhando para baixo, com o smartphone na mão – mas atrai alguns olhares de quem ache estranho usar o Glass no rosto.

Como mostra a imagem acima, será possível usar o Glass por cima de óculos de grau. Topolsky diz que é possível separar o conjunto touchpad-lente e fixá-lo na haste de outros óculos – mas aparentemente sua armação precisa ser compatível com o Glass.

O Glass possui Wi-Fi embutido, e pode usar o 3G do seu celular conectando-se com ele através de Bluetooth. (Ele também possui GPS.) No entanto, quando não há conexão – ou quando ela é muito lenta – o Glass fica “em um estado quase inutilizável”, diz Topolsky. Mas nestes casos, você ainda pode tirar fotos e capturar vídeo.

Você pode conferir o teste completo aqui, e também no vídeo abaixo (em inglês). [The Verge]