O GPS é uma maravilha para aqueles que não tem muito senso de direção, mas ainda há alguns gargalos. Todas as vezes que eu saio do metrô, por exemplo, a bússola do meu celular demora muito para descobrir para qual direção eu estou apontando.

Várias vezes eu acabei andando alguns quarteirões na direção errada, especialmente quando estava em um bairro ou cidade que eu ainda não estava familiarizado. Mas hoje, o Google anunciou que finalmente a função Live View, de realidade aumentada, será disponibilizada para instruções a pé no Google Maps.

A função foi anunciada originalmente em 2018 no Google I/O, e estava disponível em smartphones Pixel desde março. Durante a próxima semana, o Live View será liberado para celulares Android no geral que tenham capacidade de rodar o ARCore e iPhones capazes de rodar o ARKit. Uma lista com os dispositivos compatíveis estão nos links.

Para acessar a funcionalidade, você insere o destino no aplicativo do Google Maps, vê as direções e define o modo de transporte para “a pé”. No cantinho de baixo da tela, você deve ver uma opção para iniciar o Live View.

Em um evento do Google realizado nesta quinta-feira (8), um porta-voz me disse que o recurso funciona a partir de uma análise dos prédios ao redor para ter uma noção de onde você está. Isso foi baseado em anos de dados do Street View e, deste modo, o seu celular consegue fazer uma estimativa mais ou menos precisa de sua localização e de onde você precisa ir.

Setas ajudam pessoas com péssimo senso de direção, como eu. Foto: Victoria Song/Gizmodo

Embora eu ainda não tenha a função disponível no meu iPhone, o pessoal do Gizmodo tinha um Pixel dando sopa. Eu testei o Live View durante uma breve caminhada na Times Square.

Num primeiro momento, o app pede que você escaneie os prédios e a sinalização da rua. Uma vez que o app descobre qual é o seu ponto de partida, você passa a ver grandes setas direcionais te instruindo por onde ir e por quanto tempo.

Não é muito natural andar por aí com seu celular levantado – e em locais movimentados, é pedir para esbarrar nos outros. Mas o Google avisa diversas vezes que não é uma boa ideia andar olhando para o celular. Quando eu abaixava o aparelho, ele voltava para a visualização normal de mapas e vibrava quando eu precisava virar em alguma rua.

Um pequeno problema onde o app não conseguiu reconhecer os prédios. Funcionou depois de eu reiniciar o Google Maps. Foto: Victoria Song/Gizmodo

Foi aí que eu encontrei dificuldades. O aplicativo do Maps não conseguiu se localizar quando eu levantei o smartphone de novo. Eu tentei apontar o Pixel várias vezes para os prédios ao redor da rua, mas sem sucesso. Sair do app e abri-lo de novo, no entanto, resolveu o problema.

O Live View não está livre de bugs, mas pode ser bem útil, especialmente em cidades grandes. Às vezes é difícil se encontrar em algum local que você não conhece bem. Eu não sei se usaria isso com tanta frequência, mas consigo ver como uma ferramenta muito útil da próxima vez que eu ficar desorientada ao sair do metrô.