Notamos há algum tempo que estava cada vez mais difícil escapar do Google+, especialmente na hora de criar uma conta no Google. Mas agora, novos usuários não são mais obrigados a fazer um perfil nessa rede social.

Isso vale para novos cadastros em qualquer serviço do Google, como Gmail, Busca, Maps e Blogger/Blogspot. Até mesmo YouTube e Google Play, que limitam os comentários apenas para usuários do Google+, não exigem que você se cadastre na rede social.

O Google confirma ao site Wordstream que o processo de cadastro foi mesmo alterado neste mês. Enquanto isso, alguns serviços – como Drive, Groups, Calendar, Wallet e Shopping – levavam novos usuários a uma página antiga de cadastro, que não criava um perfil público do Google+.

O Gizmodo Brasil fez o teste criando contas a partir da Busca, Gmail e YouTube, e após inserir os dados, aparecia a seguinte tela, dando a opção de não entrar no Google+.

Reprodução

Não quer dizer que o Google tenha desistido de vender sua rede social: o botão “Participar do Google+” estará sempre disponível no menu Conta, por exemplo.

Reprodução

Além disso, alguns recursos ainda requerem uma conta do Google+. Quer deixar sua opinião sobre um app na Play Store? Quer deixar um comentário em um vídeo do YouTube? Quer deixar uma resenha de um estabelecimento no Google Maps? Nesses casos, um perfil na rede social ainda é obrigatório.

Mas esta é, com certeza, uma mudança de rumos para o Google. Por dois anos e meio, a empresa “embutiu” perfis do Google+ quando usuários criavam novas contas.

Quando Vic Gundotra saiu do Google – seu principal projeto era o Google+ – especulou-se que a empresa reduziria a integração de seus produtos à rede social. E é exatamente isso o que, pouco a pouco, está acontecendo: por exemplo, o serviço de fotos do Google+ deve se tornar independente, de acordo com a Bloomberg, para ficar acessível mesmo a quem não usa a rede social.

Isso não significa o fim do Google+. Como dissemos antes, a rede social não foi criada exatamente para disputar com Facebook ou Twitter: ele serve para unificar os produtos do Google, e para identificar você melhor. Isso permite à empresa vender anúncios personalizados, que valem mais dinheiro. Mas parece que, para chegar a esse objetivo, o Google não precisa mais enfiar o Google+ goela abaixo para novos usuários. [WordStream via Marketing Land via The Verge]

Foto por Twin Design/Shutterstock.com