Parece que a equipe por trás do Google Glass está trabalhando em um sucessor para o dispositivo, e ele pode não incluir a tela que fez do original algo tão distinto.

Em setembro, rumores diziam que o Project Aura daria vida nova ao Google Glass. Agora, de acordo com o site The Information, o Google tem pelo menos três protótipos do novo dispositivo.

Dois deles possuem tela, e são voltados para empresas. Não é uma surpresa, já que o Glass original encontrou aplicações no mundo empresarial.

No entanto, o outro protótipo é um headset sem tela que se baseia exclusivamente em áudio, e teria design mais “esportivo”. Aparentemente, ele usa um transdutor para condução óssea do som, assim como o Glass original: esta tecnologia emite o som com vibrações que se movem pelo crânio até o nervo auditivo.

Há poucos detalhes adicionais sobre como isso pode funcionar na prática, mas este não seria o primeiro wearable a usar somente áudio.

No ano passado, um projeto colaborativo entre a Microsoft e a Future Cities Catapult desenvolveu um headset que cria paisagens sonoras em 3D para fornecer informações ao usuário sobre seus arredores. Este foi um experimento para ajudar pessoas com deficiência visual a navegar pelas ruas da cidade de forma mais eficaz.

Cities-Unlocked-by-Microsoft-Guide-Dogs-and-Future-Cities-Catapult_dezeen_468_12Cities-Unlocked-by-Microsoft-Guide-Dogs-and-Future-Cities-Catapult_dezeen_468_18

Enquanto isso, os detalhes sobre a versão para empresas – conhecida como Enterprise Edition ou Google Glass EE – vêm vazando há alguns meses. Segundo o 9to5Google, o dispositivo inclui um prisma maior para projetar a interface; um processador Intel Atom; e um design com aparência mais robusta que se dobra como óculos.

O prisma maior permite que o usuário olhe diretamente para cima ao ver informações; no Glass original, a tela era projetada no canto do olho. O chip da Intel oferece melhor desempenho, e o Enterprise Edition conta com uma bateria externa feita pelo Google.

O 9to5Google diz que o Google Glass EE é construído para resistir a quedas e choques que podem ocorrer em ambientes de trabalho. Além disso, ele é mais resistente à água, e tem menos orifícios por onde líquidos podem entrar.

Segundo o Wall Street Journal, o novo Glass vem sendo distribuído sem alarde desde julho para empresas em setores como saúde, manufatura e energia. A versão para consumidores, no entanto, deve chegar ao mercado apenas em 2016.

[The Information via 9to5Google]

Fotos por Jeff Chiu/AP e Microsoft