Há 95 anos, este avião voou impulsionado por um foguete

Liderado por magnata do ramo automotivo, projeto foi passo importante para o desenvolvimento da aviação, mas quase acabou em tragédia
Avião com propulsão de foguetes Lippisch Ente
Imagem: Wikipédia/Reprodução

No dia 11 de junho de 1928, um magnata do ramo automotivo, dois engenheiros e um projetista de avião conseguiram colocar no ar o que seria o primeiro avião impulsionado por um foguete no mundo. O experimento aconteceu nas montanhas de Wasserkuppe, na Alemanha, e durou alguns breves minutos, mas entrou para a história da aviação e ajudou no desenvolvimento dos veículos espaciais.

Quem liderou o projeto foi Fritz von Opel. Neto de Adam Opel, fundador da montadora alemã de mesmo nome, Fritz era um entusiasta da velocidade e chegou a criar carros equipados com foguetes. Um desses veículos, o Opel-RAK.2, alcançou uma velocidade de 238 km/h usando 24 propulsores, em maio de 1928.

Fritz também se interessava por aviação, e unir os dois interesses foi quase que natural. Ele se reuniu com dois engenheiros de foguetes, Friedrich Sander e Max Valier, e com o projetista de aeronaves Alexander Lippisch. De lá, saíram com o avião Lippisch Ente.

Uma das inovações no design era que ele não tinha cauda, com o estabilizador ficando à frente do cockpit. Com isso, seria possível instalar um foguete na parte de trás da aeronave. Outra novidade é que havia um sistema de contrapeso móvel debaixo do cockpit, que podia ser acionado pelo piloto por uma alavanca. Assim, enquanto o combustível estivesse queimando, seria possível ajustar o centro de gravidade rapidamente para estabilizar o voo.

Como foi o primeiro voo

O piloto escolhido para o experimento foi Fritz Stamer. No dia 11 de junho, eles se dirigiram até o local de testes em Wasserkuppe. À aeronave foram instalados dois foguetes com pólvora, com capacidade de até 30 segundos de queima. Cada um deles seria acionado em sequência, aumentando o tempo de propulsão.

O primeiro voo-teste não funcionou, já que a ignição falhou. Até que, na segunda tentativa, o foguete foi enfim acionado e o avião ficou no ar durante 30 segundos, pousando suavemente cerca de 1,5 km à frente.

Empolgados com o resultado, o grupo fez uma nova tentativa, dessa vez acionando os dois foguetes ao mesmo tempo. Mas o experimento quase terminou em tragédia. Enquanto um dos foguetes foi acionado perfeitamente, o outro acabou explodindo logo depois. Mesmo com as asas e a fuselagem danificadas, o avião alçou voo, ficou alguns segundos no ar e caiu em seguida, após o combustível ser totalmente consumido. Por sorte, o piloto conseguiu sair ileso, mesmo com o avião consumido pelas chamas.

O legado da façanha

Avião com propulsão de foguetes, Opel RAK.1

O Opel RAK.1 fez o primeiro voo público de um avião com propulsão de foguetes Imagem: Wikipédia/Reprodução

O experimento de 95 anos atrás mostrou que era possível impulsionar aviões usando foguetes. Em setembro de 1929, o próprio Fritz von Opel pilotou um avião com propulsão de foguetes, o Opel RAK.1, no que seria o primeiro voo público do tipo, com cobertura da imprensa.

Nos anos seguintes, outros modelos com propulsão a foguetes foram desenhados, sobretudo durante os anos finais da Segunda Guerra Mundial. Porém, como eles possuem um período curto de combustão, eles passaram a dar espaço aos motores a jato.

De qualquer forma, os aviões impulsionados por foguetes foram essenciais no desenvolvimento de veículos espaciais, como o SpaceShipOne e o SpaceShipTwo, da empresa Virgin Galactic.

Assine a newsletter do Gizmodo

Igor Nishikiori

Igor Nishikiori

Formado em Jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero. Já passou pelas redações da Editora JBC, São Paulo Shimbun, Folha de S. Paulo e Portal R7. Prefere o lado alternativo das coisas, de música a futebol.

fique por dentro
das novidades giz Inscreva-se agora para receber em primeira mão todas as notícias sobre tecnologia, ciência e cultura, reviews e comparativos exclusivos de produtos, além de descontos imperdíveis em ofertas exclusivas