Centenas de contas do Gmail foram hackeadas recentemente, e entre elas há contas de representantes sênior do governo americano e de militares de alto escalão do país. Para completar, políticos e ativistas da Coreia do Sul e da China também foram afetados pela brecha.

Eis o posicionamento oficial do Google:

Apesar da força de nossos sistemas de abuso e de segurança baseados na nuvem, nós descobrimos recentemente uma ação criada para coletar a senha de usuários, provavelmente por meio de phishing. A ação, que parece ter se originado em Jinan, na China, afeta centenas de contas de Gmail de diversos usuários, incluindo políticos americanos, ativistas políticos chineses, governantes em alguns países asiáticos (predominantemente na Coreia do Sul), militares e jornalistas.

O Google diz que o hacker (ou os hackers) enviava e-mails para os usuários afetados, fingindo ser um colega de trabalho. Ele monitorava as contas e alterava as configurações para ativar a possibilidade de encaminhamento de mensagens e acesso como convidado à conta. Ainda não se sabe quanto o Google sabe sobre a origem dos ataques. Mas por causa do ataque à contas de políticos e militares americanos, somado ao posicionamento pesado da Casa Branca contra os cibercrimes, essa brecha fica ainda mais intrigante.

O blog Contagio, especializado em segurança, fez uma ótima análise sobre o ataque, que inclui a imagem acima, mostrando a página criada pelo hacker que imita a página inicial do Gmail. [Google via Washington Post e Forbes]