A LG tem vários smartphones novos com Android da linha Optimus em exposição na CES, mas dois chamam mais nossa atenção: o Optimus 2X, com processador dual-core e gravação de vídeo em 1080p; e o Optimus Black, aparelho superfino da LG. Usamos os dois por algum tempo, e eis o que achamos deles.

Por fora, o Optimus 2X não me agradou à primeira vista. Sim, o design dele é básico, apenas uma moldura preta ao redor da tela de 4 polegadas, mas os botões na parte inferior parecem ocupar espaço demais. É um aparente desperdício de espaço, uma leve falha que não deveria existir num design simples. Só que ele é fino e elegante, e tem pegada boa. A tela não tem nenhum truque na manga – é uma TFT de 800×345 pixels – mas é brilhante e tem boa reprodução de cores: assistir nele um vídeo em 1080p é uma experiência agradável.

Por dentro, o Optimus 2X tem processador dual-core de 1GHz, e dá pra notar: o bicho é rápido. Nas transições de tela, na hora de abrir apps e de usá-los, a velocidade atendeu minhas expectativas. No entanto, não foi possível testar os aparelhos com apps como Angry Birds ou Linpack (que faz benchmarks), porque os aparelhos não estavam conectados à internet. A potência a mais não se reflete no peso: o aparelho pesa 139g, mas não é pesado na mão. Ele também é fino, com 11mm.

A interface do Android 2.2 foi modificada pela LG de forma mais aparente que em seus outros aparelhos. Agora vemos uma interface mais parecida com a do Galaxy S, da também coreana Samsung, com alguns toques de melhora na interface: por exemplo, quando você navega em uma lista, ela tem aquele efeito elástico para indicar que você chegou ao fim. Eu não gosto muito da interface do Galaxy S e também não curti muito esta, mas como sempre é possível trocar a tela inicial e ainda contar com os refinamentos da interface, acho que o saldo é positivo.

O Optimus Black é um dos smartphones mais finos do mercado, com apenas 9,2mm de espessura. Ele também é bastante leve na mão, com apenas 109g bem distribuídos. Ele tem a parte de trás levemente curvada, então o aparelho se encaixa na sua mão com certa firmeza. O problema é que, se você o pegar com um pouco mais de força, pode acabar curvando um pouco a tampa traseira. Ele obviamente não vai quebrar com isso, mas esperava um pouco mais de robustez do aparelho.

Por fora, o Optimus Black é simples e bem parecido com o Optimus 2X; mas neste aparelho não há a “sobra” de espaço do modelo 2X. E os botões da parte inferior têm um detalhe interessante: quando você os toca, eles mudam para a cor azul. E ainda temos a NOVA Display, tela LCD IPS (semelhante à do iPhone 4) que a LG diz ser a mais brilhante do mercado. E a tela de fato deixa o aparelho ainda mais atraente: não me impressionou tanto quanto a do iPhone 4 (por ter resolução menor) mas pelo que vi, dentro do pavilhão de esposições sem muita luz, gostaria de ter uma tela assim todo dia.

OK, ele é lindo, mas ele é rápido? Bem, ele não tem processador dual-core, “apenas” processador de 1GHz, mas novamete não tivemos problema em abrir e usar apps com rapidez. Pena que não tínhamos apps pesados pra testar.

Assim como o Optimus 2X, o Optimus Black roda Android 2.2 com a interface da LG. Ela é quase igual à do 2X, e conta com os mesmos refinamentos – por exemplo, predomínio do preto e azul, barra de notificações com controles a mais, e feedback no final de listas.

Os dois aparelhos estarão disponíveis em 2011: o Optimus 2X ainda sem data definida, e o Optimus Black será lançado “globalmente” no primeiro semestre – esperamos que o Brasil esteja no pacote.

O Gizmodo viajou para Las Vegas a convite da Motorola, e já ouviu o conselho “se beber não case kkkk” mais do que deveria.