Na semana passada, o YouTube anunciou seu novo serviço de streaming de música, que agora está sendo distribuído em versão beta nos EUA e em seis países da Europa.

O YouTube Music Key toca música mesmo com o app minimizado, permite armazenar vídeos offline, retira anúncios e oferece 6 meses de avaliação gratuita. Tudo isso transforma o YouTube em um ótimo player de música: eu testei e gostei.

>>> Google Play Música Acesso Ilimitado: streaming no Android, iOS e web a partir de R$12,90 mensais

Quem tem acesso ao beta só precisa abrir o app do YouTube e ser guiado (duas vezes) pelo Music Key em detalhes. Antes de começar o teste gratuito de seis meses, é preciso inserir um método de pagamento. E pronto: você não tem que baixar um novo app nem aprender a usá-lo: a barreira à entrada aqui é basicamente nula.

Vídeos no plano de fundo

Para mim, o recurso mais bacana é tocar músicas em segundo plano. Basta abrir um vídeo e fechar o app: ele continua tocando, e cria um pequeno widget para controlar a reprodução na área de notificações do Android.

Teste do YouTube Music Key
Este é o widget do YouTube, convivendo com meus widgets de podcast e do Google Play Música.

Não precisa ser uma música: pode ser um vídeo qualquer, e o som continua tocando. Funcionalmente, isso é como ouvir o YouTube enquanto ele está aberto em outra aba no seu computador.

Você pode criar listas de reprodução, ou ouvir playlists de outras pessoas. Senão, quando o vídeo que você estiver ouvindo chegar ao fim, você terá que voltar ao app e encontrar outro.

Playlists

Se você quiser playlists automáticas, há a aba “Música” na tela inicial do app YouTube, lançada há poucos dias – todo mundo recebeu isso, mesmo quem não está no beta do Music Key. Aqui você pode encontrar alguns mixes baseados em artistas você pesquisou recentemente: para mim aparecem playlists do Sum 41 e The Magnetic Fields, e não me envergonho de nenhuma delas.

Também há uma lista aparentemente interminável de sugestões à medida que você rola a página: sugestões com base no seu histórico, ou nos canais em que você se inscreveu, ou nas faixas que você ouviu no Google Play Music.

Também há sugestões de vídeos populares, melhores vídeos por gênero, e algumas playlists selecionadas a dedo também. Tudo isso, em tese, substitui uma opção “rádio”, que o YouTube Music Key não tem.

Off-line e sem anúncios

Além de poder ouvir tudo isso no app do YouTube – mesmo com a tela desligada! – assinantes do Music Key também podem guardar vídeos para verem off-line depois, assim como você pode armazenar em cache as músicas e álbuns no Spotify Premium. Para isso, há um pequeno botão de download na interface:

Teste do YouTube Music Key (2)

E, claro, não há anúncios. São 20 milhões de vídeos que deixarão de exibir propagandas em todas as plataformas – tanto no smartphone como no computador.

Por enquanto, o beta só foi lançado para usuários selecionados; o Google diz que, em sua maioria, são pessoas que costumam ouvem muita música no YouTube. Quem assina o Google Play Music All Access – serviço de streaming que corresponde ao Acesso Ilimitado no Brasil – tem acesso automático ao Music Key, o que é uma boa jogada do Google – é uma forma de unir suas assinaturas de música.

Depois que acabarem os seis meses de teste, o usuário terá que pagar US$ 8 mensais para continuar. Este é um preço promocional; quem sair e depois voltar terá que pagar US$ 10 – que ainda são bem razoáveis.

O YouTube Music Key é basicamente como ouvir música do YouTube no seu computador, com o vídeo tocando em uma aba separada ou janela minimizada. Mas há alguns recursos extras, como armazenar vídeos em cache no celular e a ausência de anúncios.

E é isso que torna o Music Key tão bacana de se usar. Você já tem o app, você já sabe como usá-lo; tudo que você tem a fazer é ativar os recursos extras (e, no futuro, pagar por eles). Eu não assino nenhum serviço de streaming, mas sinto que vou pagar pelo YouTube depois que acabarem os seis meses de teste.

O Google não tem previsão de lançar o Music Key no Brasil.