O papo de que aparelhos com Firefox OS podem custar US$100 dólares ganhou forma durante a Mobile World Congress. Anunciado ontem, o ZTE Open, primeiro smartphone da empresa chinesa com o sistema da raposa, é modesto em todos os sentidos, e se ele custar mais do que US$100, em qualquer mercado, será uma afronta à percepção do consumidor.

Enquanto mostrava alguns tablets com cara de smartphone e smartphones com cara de tablet todos pomposos, com telas brilhantes e Android, a ZTE reservou um pequeno espaço em seu estande para dois modelos do ZTE One. O curioso é que, pelo fator novidade, essa era a área mais disputada por lá. Um monte de gente se amontoando para ver um aparelho com tela de 3,45 polegadas com péssima resolução de 480×320 pixels, 256MB de memória RAM e um visual engraçado — laranja, com acabamento fosco, e um tanto gordinho. É o efeito que um novo sistema operacional causa.

WP_20130225_011

A tela do ZTE Open é sem dúvida seu principal problema, já que ela tem aquela aparência de afundada que as telas mais antigas tinham. A resolução não colabora muito para mostrar o Firefox OS, mas deu para ver que ele tem lá seu charme: ele é rápido, se considerarmos o hardware em que se encontra, e tem uma ou outra sacada interessante, mas ainda precisa evoluir um bocado para chamar a atenção — coisas que já comentamos neste hands-on mais aprofundado do sistema. O problema: os aparelhos da ZTE não estavam conctados à internet, um problema grave para um sistema que aposta na nuvem, no HTML5 e na conexão constante.

WP_20130225_010

O Open é um exemplo claro de que, sim, é possível que o Firefox OS chegue em aparelhos extremamente básicos para atingir o máximo possível de usuários. O que não impede que nós o vejamos em aparelhos mais poderosos — tanto o ZTE Open quanto o Alcatel One Touch, também apresentado por aqui, foram baseados no aparelho de referência Keon, onde vimos o Firefox OS pela primeira vez. Não custa lembrar que o outro aparelho de referência, o Peak, tem tela de 4,3 polegadas e câmera de 8MP. Resta saber quando as fabricantes começarão a mostrar suas cartas — LG e Huawei também estão preparando aparelhos com o sistema. Aguardemos os próximos passos, incluindo a chegada dos primeiros aparelhos no Brasil, prometidos para “meados de 2013”.