Meses após o anúncio de que a WarnerMedia e Discovery irão se fundir em 2022, executivos estão pensando em unir os serviços de streaming HBO Max e Discovery +.

A conversa aconteceu durante uma teleconferência de resultados financeiros que aconteceu na última quarta-feira (3). JB Perrette, presidente e CEO da Discovery Streaming and International, disse que ambos os serviços de streaming representariam um “buffet de tecnologia atraente” para os consumidores escolherem.

Ao descrever as próximas etapas para as duas empresas, Perrette acrescentou que os usuários podem ver a fusão se desdobrar em duas etapas: uma fase inicial, que vê os dois serviços agrupados e, em seguida, uma fase secundária, onde os dois serviços de streaming são fundidos em uma plataforma comum.

“Haverá economias de custo significativas com a combinação em uma plataforma”, disse Perrette. “Acho que também haverá benefícios significativos para o consumidor ao combinar em uma plataforma”.

Agrupar os dois serviços parece tentador, uma vez que não parece haver conflito na bases de assinantes. Enquanto HBO Max equilibra conteúdos de drama, documentários e comédia, o Discovery + é embalado com conteúdo mais casuais, incluindo programas de reforma de casas, reality shows de namoro e gastronomia.

Ainda assim, os executivos dos dois lados da fusão parecem satisfeitos com o andamento das coisas até agora — e ninguém parece mais feliz do que os chefes da AT&T , a empresa que dispensou a WarnerMedia apenas três anos depois de convencer o Departamento de Justiça a aprovar a transação.

É o ciclo da vida, pelo menos no que diz respeito às guerras de streaming: grandes empresas multinacionais criam plataformas de streaming, adquirem umas às outras, recuam de seus investimentos iniciais e, em seguida, tentam agrupar os serviços em um esforço para fortalecer usuários e valor de mercado. No final do dia, o máximo que os clientes podem fazer é cruzar os dedos e torcer para que suas assinaturas de streaming ainda fiquem mais baratas do que a cabo.

Discovery+ no Brasil

Segundo o colunista do UOL Ricardo Feltrin, a empresa fará um evento nesta quinta-feira (4) para anunciar o lançamento oficial.

O Discovery+ era para ter sido anunciado no Brasil em setembro. No entanto, conflitos de agenda e o lançamento do concorrente Star+ fizeram a data de estreia ser adiada.

O serviço trará conteúdos originais e exclusivos, além de um amplo acervo das marcas conhecidas pelo público, como Discovery Channel, Discovery Kids, Discovery Home and Health, TLC, Animal Planet, ID, Discovery Turbo, Discovery Science, Food Network e HGTV.

Assine a newsletter do Gizmodo

Nos EUA, o serviço foi lançado em janeiro e custa entre US$ 4,99 (R$ 28) e US$ 6,99 (R$ 40). No Brasil ele chegará em combos com o Globoplay. Ainda não foram revelados pacotes nem mensalidades.