Com produções originais, conteúdo esportivo e dezenas de filmes e séries da antiga Fox (20th Century), o novíssimo serviço de streaming Star+ chega hoje (31) ao Brasil. O carro-chefe é Os Simpsons, mas outras produções renomadas dos canais Fox e FX também estão no catálogo. Parte do que é exibido no Hulu, streaming dos EUA, chegará aqui por meio do serviço, mas neste primeiro dia alguns títulos prometidos ficaram de fora.

Afinal, ele tem uma boa relação custo-benefício em relação aos planos e a oferta? A seguir, te contamos como foi nossa experiência com o primeiro dia de Star+ no país.

ATUALIZAÇÃO: Após a publicação deste texto, ontem (31) o catálogo do Star+ foi atualizado com as produções originais, filmes da Fox e as séries prometidas pelo serviço, mencionadas ao longo deste texto.

Planos e disponibilidade

(Captura de tela/Gizmodo Brasil)

Os novos planos disponíveis no site do Star+ são os seguintes:

  • Star+ Mensal: R$ 32,90 por mês;
  • Star+ Anual: R$ 329,90 por ano à vista;
  • Combo+ que une Disney+ e Star+: R$ 45,90 por mês.

Apenas o Disney+ custa mensalmente R$ 27,90 ou R$ 279,90 por ano, à vista. Há um outro desconto: os atuais assinantes anuais da Disney+ que optarem pelo combo mensal do Star+ pagam apenas R$22,57/mês adicionais.

O assinante poderá conferir o Star+ por meio de:

  • Smart TVs (LG/WebOS e Samsung/Tizen);
  • Dispositivos de streaming (sistemas operacionais Amazon Fire, Android, Apple, Chromecast);
  • Computadores (Chrome, Mac, Windows);
  • Tablets e celulares (Amazon Fire, Android, iPhone e iPad);
  • Consoles (PS4, PS5, Xbox One e Xbox Series X/S).

A assinatura dá direito a uma conta com 4 dispositivos simultâneos, reprodução na mais alta qualidade compatível, com downloads limitados em até 10 dispositivos e a criação de até 7 perfis.

Catálogo atual

Em termos de produções originais, temos três por enquanto: Hip Hop Uncovered (história dos EUA e as raízes do hip hop), Big Sky (drama policial sobre um assassino em série) e Love, Victor (romance teen que se passa no universo do filme Com Amor, Simon).

(Captura de tela/Gizmodo Brasil)

No momento da redação deste texto, a série Only Murders in the Building (com Selena Gomez e Steve Martin), uma das mais esperadas do público, não estava no catálogo do Star+, mesmo que sua data de estreia seja hoje (31). Originalmente do Hulu, é o Star+ que detém os direitos de exibição aqui no país e, pelo visto, não acontecerá simultâneo aos EUA.

Deadpool e outros filmes da Fox que não estão na Disney+ também ficaram de fora, por enquanto.

(Captura de tela/Gizmodo Brasil)

The Walking Dead e American Horror Story, séries que estiveram em diversos serviços de streaming ao longo de sua exibição televisiva no Brasil, foram outras promessas que, até o momento, não estão no Star+. Todas as terças-feiras TWD terá um episódio novo, mas resta esperar para vermos quando eles entrarão neste serviço.

Quem gosta de Os Simpsons vai se entreter com as 32 temporadas completas da série. Para quem não tem muito tempo (e paciência) para ver tudo, pode optar pela seleção de episódios organizadas em “Coleções” pelo serviço. Há episódios especiais de estrelas do rock, os focados em esportes e até os de “previsões” – misto de Simpsons no futuro e parciais presságios de acontecimentos do mundo real.

(Captura de tela/Gizmodo Brasil)

Os curtas animados de Simpsons que originalmente foram para a Disney+ podem ser assistidos pelo serviço, como os crossovers com a Marvel e Star Wars. Além disso, Family Guy, Futurama, Duncanville, Bob’s Burgers e outras animações adultas também estão no Star+.

Dentre filmes disponíveis, destacamos:

  • Bohemian Rhapsody
  • Ad Astra
  • Os Caça-Fantasmas
  • A Teoria de Tudo
  • Hitchcock
  • Tubarão
  • Jurassic Park
  • Assassinato no Expresso do Oriente
  • O Grito
  • Senna
  • Trilogia De Volta para o Futuro

E as séries que merecem menção são:

  • Modern Family
  • This Is Us
  • Grey’s Anatomy
  • How I Met Your Mother
  • Lost
  • Prison Break
  • Arquivo X
  • Buffy: A Caça-Vampiros

Estreias de 2021

Do criador de Rick & Morty, a animação Solar Opposites estreará em 29 de setembro com sua primeira temporada de 8 episódios. Não há previsão para segunda temporada, que saiu nos EUA pelo Hulu em março deste ano.

Y: O Último Homem, adaptada do quadrinho homônimo, terá também estreia simultânea ao Hulu a partir de 13 de setembro. Atualmente na Netflix brasileira, as duas primeiras temporadas de Pose, de Ryan Murphy, chegarão em 15 de setembro. Por ser do canal FX, tal qual outras séries de TV do Hulu, imagina-se que o mesmo pode acontecer com outras séries no futuro.

E aí, vale a pena?

O Star+ chega a um valor mediano para o consumidor de streamings brasileiro, mas como parece ser uma “normal” dentre serviços novos neste último ano (foram 3 em menos de 11 meses!), o que vale a pena é esperar pelo menos o segundo mês, para justificar o custo de R$ 32,90.

Há pouco mais de uma semana, a HBO Max (que chegou no fim de junho) adicionou nada menos que 180 títulos ao seu catálogo. Somando isso à gradual adição ao longo de julho, tivemos uma noção mais palpável do que ela oferta somente em seu segundo mês. A Disney+ demorou meses para chegar ao estado atual, então como comparativo (em escala menor), o Star+ não foi exceção à regra dos novos streamings.

Assinantes ansiosos com exibição simultânea à TV a cabo (dos EUA e Brasil) precisarão repensar se o investimento vale a pena, pois a primeira impressão que tivemos foi um absoluto atraso em relação às promessas do Star+, como vimos hoje nas ausências de The Walking Dead e American Horror Story.

(Captura de tela/Gizmodo Brasil)

A interface é virtualmente idêntica à Disney+, então quem tiver se dado bem com o serviço neste último ano não vai encontrar dificuldades. O diferencial maior é o acesso fácil à ESPN na barra de navegação superior, onde você encontra as transmissões ao vivo e todo o cronograma de eventos e transmissões – com destaque para a Premier League. O ponto mais forte é esse: a oferta de esporte.

Um erro grave é a mistura de gêneros, o que a princípio pode ser uma maneira de camuflar o raso catálogo na estreia do serviço. Ad Astra está categorizado como “ação” e repetido em “drama”. O mesmo acontece com dezenas de outros filmes e categorias, incluindo boa parte de “drama” e “romance”.

Até com os clones, em cada categoria temos o limite de 30 títulos. A ordem alfabética, para piorar, funciona em inglês, mas os títulos aparecem em português. Além da Morte, por exemplo, está no meio da lista por conta de ser Flatliners no original. É um deslize simples que fará a diferença quando houver uma centena de itens em cada página.

ATUALIZAÇÃO: Descobrimos que este limite de 30 títulos dentro de cada gênero é um limitador dentro do menu de navegação da plataforma, erro que ainda não foi consertado após 24 horas, mas há dezenas de filmes e séries “escondidos” em quem optar por buscar pela ordem alfabética. 

É realmente curioso não termos Deadpool nesta estreia do Star+, pois o personagem fez parte das campanhas de divulgação desde o começo. Séries grandes eventualmente chegarão, mas quem queria ver a 11ª de The Walking Dead vai ter que esperar um pouco. Não há como prever quando o Star+ irá cumprir as expectativas do público, mas esperamos que dentro desta primeira semana tudo esteja em dia com as promessas.

Assine a newsletter do Gizmodo

A oferta de filmes e produções exclusivas não compensa, contudo, a ideia de agregar tudo o que é da Fox em um único serviço tem bastante potencial. Sim, o Star+ vale muito a pena por quem quer ver todos os episódios de Os Simpsons em um serviço, de fácil navegação, mas a primeira instância não vai muito além.

ATUALIZAÇÃO: Considerando que muitas das ausências notadas no primeiro dia do serviço aqui no Brasil foram adicionadas ao Star+ em menos de 24 horas (bem como os episódios recém-lançados de American Horror Story e The Walking Dead), nossa percepção a respeito da relação custo-benefício do serviço mudou para: as produções originais ainda são poucas, mas a grande proposta de filmes e séries do Hulu, Fox e FX fazem com que a assinatura valha a pena.