O russo Roman Abramovich, famoso pelo seu fanatismo por iates, adicionou uma nova vantagem ao seu barquinho Eclipse (uma monstruosidade de 170 metros e mais de um bilhão de dólares): um escudo laser que varre os arredores do barco à procura de paparazzis e emite um raio de luz fortíssimo, para destruir qualquer fotografia.

Os lasers detectam CCDs, charged coupled devices, que são usados na maioria dos sensores fotoelétricos (mas não em todos — ainda há os CMOS). Os guardas podem ativar o laser quando suspeitarem de alguém nas redondezas. Se o laser encontrar uma câmera, apontará um forte feixe de luz diretamente na direção da câmera, impedindo qualquer foto decente.



Previsivelmente, os paparazzi ficaram brabinhos com o novo escudo, reclamando que:

Interferir com bens de propriedade alheia, ou alterar a sua condição, é uma violação material e dá ao fotógrafo o direito de reclamar compensação sem necessidade de apresentar provas de perda.

Deve ser tipo uma causa perdida, já que é impossível manter um barco desses escondido o tempo todo sem afundar o coitado. Mas qualquer coisa que atire lasers em paparazzi me deixa feliz. [Wired]