Em seus mais de 23 anos de existência, o Google lançou centenas de produtos com as mais diversas funcionalidades — de plataformas de e-mails e redes sociais a serviços de edição compartilhada. É natural que, ao longo dessa trajetória, muitos desses projetos tenham ficado para trás.

Em memória dos apps que já foram, a companhia lançou o Google Cemetery (Cemitério do Google), que reúne mais de 160 produtos da empresa descontinuados desde 2006. Relembre alguns deles.

Orkut

Pode ser que você não saiba, mas o Orkut foi adquirido pelo Google nos últimos anos de vida. A plataforma indiana foi a primeira rede social da maioria dos internautas brasileiros. Ela durou 10 anos (de 2004 a 2014), e até hoje está no imaginário de quem vivenciou seu auge. Afinal, quem nunca sentiu saudades das comunidades, dos “scraps” e jogos clássicos, que atire a primeira página.

Panoramio

Em 2005, um aplicativo surgiu no mercado para aproveitar o poderio do Google Maps — e permitir que fotos fossem associadas a localizações geográficas e compartilhadas facilmente. O serviço se tornou um sucesso tão grande que o Google acabou comprando a empresa. Em 2016, porém, essa aventura acabou: o Panoramio acabou integrado ao Google Maps, mas o serviço como era antes desapareceu para sempre.

Google Vídeos

O Google Vídeos nasceu em 2005 como um recurso para hospedar vídeos feitos pelos usuários, mas perdeu essa utilidade um ano depois, quando a empresa comprou um site que se tornou a principal referência na área, o YouTube. Com isso, o Vídeos foi gradualmente se transformando em um mecanismo de busca de imagens até ser encerrado, em 2012. O resto é história.

Picasa

Em 2004, o Google comprou o app de compartilhamento e organização de fotos Picasa, que se tornou um dos seus serviços mais longevos. A plataforma funcionou durante mais 12 anos até ter seu funcionamento encerrado porque a matriz decidiu transferir as funções envolvendo fotografias para o Google Fotos.

Google+

A eterna rede do Google que nunca conseguiu sair do chão. O Google Plus foi uma tentativa de competir com o Facebook, mas nunca contou com a adesão dos usuários. Após oito anos de existência (2011 a 2019), a rede foi descontinuada pela empresa.

Google Talk, Allo e Hangouts

As tentativas do Google de ter sucesso no setor de mensagens instantâneas vêm de longa data. O Google Talk foi uma dos projetos mais relevantes nessa linha, mas a empresa abandonou em 2013 para apostar inteiramente no Hangouts — embora o Talk continuasse funcionando por mais quatro anos. Em 2020 o Hangouts também saiu do ar, após quase sete anos em funcionamento. A maior parte de suas funções foi incorporada ao Google Chat.

Google Play Music

O Google Play Music foi um recurso fantástico para os amantes da música, principalmente porque oferecia uma forma simples de acesso à biblioteca de música em qualquer dispositivo e a qualquer hora. A companhia, porém, começou a promover sua plataforma alternativa, o YouTube Music, anos atrás. Foi ele que se encarregou substituir totalmente o Google Play Music.

Picnik

Se havia um serviço online que podia concorrer com o Photoshop — principalmente para edições mais sutis –, este era o Picnik. A ferramenta oferecia ferramentas básicas de edição e retoque que complementavam as de várias redes sociais e serviços, como Facebook, MySpace, Flickr ou Álbuns do Picasa. O serviço começou em 2005 e foi encerrado em2013.

Google Rides

Poucos sabem, mas o Google teve um serviço de corridas muitos anos antes do Uber aparecer. O Google Rides funcionou entre 2007 e 2009, em apenas 14 cidades nos EUA. Ele servia para encontrar táxis, caronas ou traslados com base na localização do usuário. Só não deu muito certo.

Assine a newsletter do Gizmodo

Google Wave

Quando surgiu, em 2009, o Google Wave foi anunciado como um ambiente de trabalho no qual os usuários poderiam trabalhar simultaneamente em várias máquinas diferentes, agilizando fluxos de produção. A solução foi fechada menos de um ano depois e depois vendida para outra empresa, por falta de adesão de usuários.