A maior usina solar do mundo está operando em capacidade reduzida após sofrer um incêndio nesta quinta-feira (19), possivelmente devido a espelhos desalinhados.

>>> Portugal conseguiu se manter apenas com energias renováveis por quatro dias
>>> Este é o primeiro aeroporto que consegue funcionar 100% com energia solar

Um pequeno incêndio foi relatado na manhã de quinta-feira no ISEGS (Ivanpah Solar Electric Generating System), Califórnia, forçando uma paralisação temporária. Agora, a usina está funcionando a um terço da sua capacidade: uma das torres está desligada devido ao incêndio, e outra está sob manutenção de rotina.

Segundo a Associated Press, apagar o incêndio não foi tarefa fácil. Os bombeiros foram obrigados a subir 90 m em uma torre da caldeira para chegar ao local. As autoridades disseram que o fogo estava localizado a cerca de dois terços da altura da torre.

Os funcionários da usina conseguiram controlar as chamas enquanto os bombeiros chegavam ao local, e o fogo foi extinto cerca de 20 minutos após ter começado.

AP_16141036577647
Dutos de vapor e tubulações de água danificados. (San Bernardino County Fire Department via AP)

Localizada num terreno de 16 km² no deserto de Mojave, a usina térmica Ivanpah está equipada com 173.500 coletores de energia solar – cada helióstato tem dois espelhos – que concentram a luz em caldeiras localizadas no topo de três torres de 140 m.

O enorme calor gerado pela energia solar concentrada produz vapor que move turbinas para gerar eletricidade. A usina, por enquanto a maior de seu tipo, possui uma capacidade bruta de 392 megawatts, o suficiente para abastecer 140.000 casas nos EUA. Cada um dos espelhos solares refletores, controlados por computador, tem o tamanho de uma porta de garagem.

ivanpah usina (2)

Um porta-voz da empresa diz ser muito cedo para comentar sobre a causa, mas parece que o problema pode ter começado com espelhos desalinhados. Mike McClintock, o capitão dos bombeiros do condado de San Bernardino, declarou à AP que alguns espelhos refletiam a luz solar para um nível diferente na terceira torre, fazendo com que os cabos elétricos pegassem fogo.

O incidente revela os perigos da energia solar concentrada, bem como a necessidade de assegurar que os espelhos estejam sempre mirando o alvo certo. Além de serem uma ameaça para si próprias, estas usinas também podem representar um perigo para a vida selvagem: em 2014, a Ivanpah incendiou vários pássaros enquanto eles sobrevoavam o local. Enquanto isso, pilotos de avião reclamaram do brilho intenso.

Este é mais um revés para a usina. Nos últimos meses, ela foi incapaz de cumprir os níveis de geração estipulados em seu contrato de compra de energia, e recebeu uma prorrogação até 31 de julho para melhorar seu desempenho. Este incêndio, obviamente, não vai ajudar.

[AP]