Após sofrer um atraso de cerca de duas semanas, o Instituto Butantan recebeu na manhã desta segunda-feira (19) mais 3 mil litros do Insumo Farmacêutico Ativo (IFA) usado na produção da CoronaVac. Com essa quantidade, a entidade vai conseguir produzir mais cinco milhões de doses da vacina contra a Covid-19.

O novo lote do IFA deveria ter chegado entre os dias 6 e 8 de abril. Por conta do atraso, o Butantan estendeu o prazo de entrega das 46 milhões de doses de Coronavac prometidas pelo instituto ao Ministério da Saúde, que agora vai receber as doses até 10 de maio — o prazo anterior era até o fim de abril.

A quantidade é menor que o previsto anteriormente, que era de 6 mil litros em um único lote. No entanto, o envio foi dividido em duas partes, e os outros 3 mil litros do insumo devem chegar ao Brasil antes do fim de abril, ainda sem uma data definida. Entre fevereiro e março, o Butantan já havia recebido quase 20 mil litros de insumos para a produção do imunizante produzido pelo instituto em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac.

Assine a newsletter do Gizmodo

Segundo o cronograma oficial do Instituto Butantan, após finalizar a entrega das 46 milhões de doses ao Ministério da Saúde em maio referentes ao primeiro contrato assinado, a entidade vai entregar outras 54 milhões de doses ao governo federal até setembro deste ano. Na semana passada, o Butantan alcançou a marca de 40,7 milhões de doses entregues ao Plano Nacional de Imunizações (PNI).

A CoronaVac é uma das duas vacinas em aplicação no Brasil, junto com a vacina de Oxford/AstraZeneca, para uso emergencial. Recentemente, foi constatado que o imunizante é eficaz contra a variante do novo coronavírus encontrada primeiro em Manaus. Também foi comprovado que a eficácia da vacina do Butantan pode chegar a 62,3% se a segunda dose for aplicada em um intervalo de mais de 21 dias depois da aplicação da primeira dose.

[G1]