A Intel parece ter descoberto uma forma muito esperta de melhorar a bateria de laptops. A fabricante de processadores anunciou uma nova tecnologia chamada Low Power Display durante a Computex, uma feira de tecnologia realizada em Taiwan, e diz que, com esse recurso, a autonomia de bateria de um laptop pode ser aumentada entre quatro e oito horas.

A 2ª geração de CPUs Ryzen da AMD prova que temos uma alternativa sólida à Intel
O que está acontecendo entre a Apple e Intel? Um guia de especulações

A ideia, de acordo com a Intel, é que as fabricantes de tela farão displays baseados nessa funcionalidade e que a placa gráfica integrada dos processadores Intel vai controlar o display, automaticamente ajustando o brilho e a taxa de atualização para aumentar a autonomia de bateria. A forma como a Intel descreve o novo recurso pode fazer você se lembrar de tecnologia semelhantes, como a Nvidia G-Sync e a AMD Freesync.

Essa tecnologia automaticamente conta com uma GPU que se comunica com a tela de modo que os frames renderizados pela placa gráfica correspondem à taxa de atualização perfeitamente. A nova tecnologia da Intel também envolve uma comunicação com o display, mas parece que o processo envolve ainda mais controle. Por exemplo, se você está olhando uma imagem estática no seu laptop, não precisa de uma atualização de tela 60 vezes por segundo para corresponder à taxa de atualização de 60 Hz do display. Em vez disso, ele vai fazer a tela atualizar apenas uma vez por segundo, e só voltará ao normal quando a CPU disse se o usuário está movendo o mouse ou digitando algo no teclado.

O brilho também pode ser alterado. As telas atuais têm brilho adaptável, no qual o nível de brilho é ajustado baseado na luz do ambiente em que a pessoa está. As telas feitas com a tecnologia Low Power Display seriam mais espertas nesse controle — embora devemos notar que a Intel não tenha especificado o quão inteligentes essas telas serão.

Os painéis com a funcionalidade usarão apenas 1 watt (a Intel diz que isso é aproximadamente metade do que as telas de laptop atualmente utilizam), e elas terão o mesmo jeitão de telas convencionais. Você pode teoricamente ainda ter altas resoluções, uma boa densidade de pixels e ainda contar com ótimas cores, da mesma forma que os laptops mais avançados atuais têm.

Em testes internos, a Intel disse que viu a autonomia de bateria de 20 horas de um laptop pular para 24 horas após o aparelho receber uma tela Low Power Display. Em alguns outros laptops, o tempo acrescentado à bateria variou de quatro a oito horas. No entanto, a especificação final do recurso ainda não foi acordada entre a Intel e fabricantes de tela, e ainda não existem informações concretas sobre quantas fabricantes de laptop vão adotar ou incorporar a novidade em sua linha atual de dispositivos.

Além de melhorar a autonomia de bateria com a tecnologia Low Power Display, a Intel também anunciou duas novas famílias de CPU, que devem ser lançadas até o fim do ano. A primeira é a Whiskey Lake, de 15-Watt, que será a 9ª geração da série de processadores U, que você pode encontrar em linhas de notebooks como Dell XPS ou Apple Macbook Pro. A existência do Whiskey Lake começou a ganhar rumores em dezembro de 2017 e é um refinamento adicional no processo de fabricação de 14 nm das CPUs atuais da Intel — a companhia não deu detalhes sobre a linha, apenas falou do nome do processador.

A segunda família de CPU tem codinome Amber Lake e será da série Y, de 4,5W. Essa linha você pode esperar ver em aparelhos como o Google Pixelbook ou em MacBooks, da Apple. Como com o Whiskey Lake, a Intel não deu mais detalhes sobre o Amber Lake. E, diferentemente do Whiskey Lake, não há rumores sobre a disponibilidade do Amber Lake.

Ambas as famílias serão lançadas em algum momento deste ano. A última geração, Kaby Lake R, foi lançada em agosto de 2017.

Foto do topo por Alex Cranz/Gizmodo