Historicamente, um inventor apto a registrar uma patente teria que ser um ser humano, mas em agosto do ano passado, um escritório de patentes sul-africano fez história ao permitir que um sistema de inteligência artificial, fosse nomeado como inventor.

O sistema, chamado DABUS, sigla em inglês para Dispositivo para Inicialização Autônoma de Consciência Unificada, inventou um novo tipo de embalagem para alimentos baseados na geometria fractal.

O projeto foi feito especialmente para a indústria de embalagens, a nova configuração permite que os recipientes se encaixem com mais firmeza para poderem ser transportados melhor. A forma também facilita o manuseio para os braços robóticos pegarem os recipientes.

Conseguir nomear um sistema de inteligência artificial como inventor não foi tarefa fácil, em muitos países, a lei de patente é muito específica para definir os inventores, mas a equipe de Dabus não desistiu e contaram com a ajuda do advogado Ryan Abbott.

Assine a newsletter do Gizmodo

Abbott e sua equipe apresentaram pedidos em 2018 e 2019 em 17 escritórios de patentes em todo o mundo, incluindo os Estados Unidos, vários países europeus, China, Japão e Índia. Mas todos negaram. Entretanto, o advogado apresentou recursos e conseguiu em um escritório de patentes da áfrica do sul, registrar o sistema como inventor das embalagens.

Desse modo, é a primeira vez na história que um sistema de Inteligência Artificial é citada como inventor legal de algo.

Leia também sobre a Boomy: o sistema de IA que te ajuda a a compor músicas.