A questão nunca foi se, mas quando. E de acordo com Ming-Chi Kuo,famoso analista da Apple, o tão falado iPhone dobrável deve ser lançado em 2023.

De acordo com uma nota do analista vista pelo MacRumors, Kuo disse que prevê que o primeiro iPhone dobrável da Apple contará com um display OLED flexível de 8 polegadas fornecido pela Samsung e estará à venda em 2023. Kuo também diz que com base em estimativas e o “plano de capacidade solicitado” pela Apple, ele acredita que a empresa almeja vendas entre 15 e 20 milhões de unidades, o que representaria um grande salto em relação aos 2,8 milhões de telefones dobráveis ​​vendidos em toda a indústria em 2020 — dos quais quase 80% eram da Samsung.

“Atualmente, a posição de produto dos smartphones dobráveis ​​é principalmente integrar o smartphone e o tablet”, escreveu Kuo. “ Mas acreditamos que o smartphone dobrável é apenas uma das aplicações do design dobrável. Prevemos que os dispositivos dobráveis ​​irão integrar as segmentações de produtos entre smartphones, tablets e laptops no futuro. Com seus ecossistemas de produtos cruzados e vantagens de design de hardware, a Apple será a maior vencedora na nova tendência de dispositivos dobráveis.”

Kuo disse que acredita que a Apple mudará para a tecnologia de toque de nanofio de prata — que já é utilizada no HomePod — para uso em dispositivos futuros com múltiplas dobras ou telas roláveis, em que o nanofio de prata pode se tornar uma escolha melhor do que a tecnologia de tela dobrável Y-Octa da Samsung.

Infelizmente, Kuo não mencionou um preço estimado para o próximo iPhone dobrável, embora dada a alta meta de vendas estimada da Apple, seja difícil imaginar os preços finais de varejo se aproximando dos US$ 1.800 que um novo Galaxy Z Fold 2 vale hoje.

Outra questão é se o próximo iPhone dobrável rodará uma versão padrão do iOS, iPad OS ou um híbrido dos dois para ajudar o aparelho a tirar melhor proveito de seu design multifuncional. De qualquer forma, o principal obstáculo que a Apple terá de superar é descobrir uma maneira de proteger a tela dobrável do iPhone, já que as telas dobráveis ​​de hoje ainda são bastante moles e suscetíveis a amassados ​​e vincos. A Apple também precisará desenvolver um mecanismo de dobradiça que mantenha sua força e rigidez sem ocupar muito espaço ou permitir que pequenas partículas como sujeira entrem no dispositivo.

Assine a newsletter do Gizmodo

A Samsung já lançou duas gerações de telefones dobráveis e, atualmente, tem mais experiência na criação de dispositivos com telas flexíveis. Por outro lado, a experiência da Apple em usar tecnologia relativamente nova e trabalhar para corrigir falhas e torções pode torná-la um sucesso instantâneo.

Ainda assim, muita coisa pode mudar entre agora e 2023, então vamos ter que esperar pelos próximos dois anos antes de ter uma ideia melhor de como um iPhone dobrável pode realmente ser.