A mídia norte-americana ficou bem empolgada com o iPhone XR por ele ser como o iPhone Xs, só que mais barato. No entanto, parece que o público não ficou tão empolgado quanto a blogosfera gringa. O Nikkei Asian Review noticia que a Apple cancelou um aumento na produção que estava programado para o iPhone XR, que, aparentemente, não está vendendo tão bem quanto a companhia inicialmente esperava. O iPhone 8, no entanto, está vendendo melhor que o esperado. Talvez as pessoas gostem do botão Home! Ou simplesmente não querem gastar tanto dinheiro em um novo telefone da Apple.

• Vendas da Samsung caem, e marcas chineses Huawei e Xiaomi ganham terreno no mercado de smartphones
• Novos iPhones começarão a ser vendidos em 9 de novembro no Brasil a partir de R$ 5.199

Essa deve ter sido uma terrível surpresa para quem cuida dos números da Apple. Com base na estratégia de marketing da empresa, os novos iPhones com Face ID estavam destinados ao sucesso. Sim, houve rumores iniciais sobre as vendas fracas do iPhone X, mas o CEO da companhia, Tim Cook, depois os desmentiu, anunciando que o primeiro iPhone sem um botão Home era o modelo mais vendido da empresa a cada semana que estava disponível. Ele também foi o primeiro iPhone de mil dólares da Apple, deixando muitas pessoas se perguntando se o valor podia ser alto demais para os consumidores, em uma época em que a maioria dos smartphones mais baratos fazem todas as coisas que se espera de um smartphone.

Então, veio o iPhone XR. Com aquela bela tela grande, ele parece muito com o iPhone X, mas, por US$ 750 (R$ 5.199 no Brasil), custa muito menos (que foi lançado no Brasil por R$ 7 mil). Ele também vem sem o botão Home e o Touch ID de antigos modelos de iPhone. Mas por que alguém iria querer essas coisas agora que a Apple deixa você desbloquear seu telefone com seu rosto?

É difícil dizer. Se as fontes do Nikkei estiverem corretas, existem supostamente milhares de pessoas que gostariam de seguir com o velho botão Home e com uma tela levemente menor. Essas fontes relatam que a Foxconn está produzindo até 100 mil menos unidades de iPhone XR por dia do que a Apple havia planejado inicialmente — “20% a 25% a menos do que a perspectiva otimista inicial”. Enquanto isso, a Apple aumentou os pedidos de iPhone 8 e iPhone 8 Plus em cinco milhões de unidades. O Nikkei não se segurou em explicar por que esse pode ser o caso:

As decisões de acrescentar pedidos de modelos de iPhone de mais de um ano enquanto suspende a produção extra do produto mais recente ilustra a falta de inovação da Apple e sua incapacidade de energizar os consumidores com uma estratégia de preços como essa.

Portanto, parece que a nova série de iPhone X talvez não seja tão empolgante quanto a Apple havia esperado. Mas talvez não se trate dos novos dispositivos de tela grande e Face ID embutido não serem empolgantes. Talvez as pessoas simplesmente amem o botão Home. O iPhone XR não tem um. O iPhone 8, sim. E ele tem feedback háptico também. Você toca e sente como de fato estivesse fazendo algo. Com o Face ID, ao pegar o aparelho, você não sente imediatamente que a Apple colocou uma câmera incrivelmente sofisticada no aparelho, capaz de escanear seu rosto até de ângulos impossíveis, desbloqueando de tudo, até sua conta bancária. O botão Home é bem mais simples que isso.

Entretanto, talvez esses números não estejam nem um pouco relacionados aos recursos do iPhone. É difícil dizer o que as pessoas gostam ou odeiam com base apenas em números de vendas. É igualmente difícil determinar se os dispositivos têm sucesso ou fracassam por causa de recursos levemente diferentes. Talvez seja só o preço mesmo. Um iPhone 8 custa R$ 3.999, e um iPhone 8 Plus, R$ 4.599. Ambos são mais baratos que o iPhone XR (R$ 5.199) e, para aqueles que se importam com isso, eles têm um recurso que falta no iPhone XR: um botão Home!

Inevitavelmente, toda essa discussão é mais um sinal de que comprar um iPhone ficou mais complicado do que nunca. A Apple quer que você gaste vários milhares de reais em um dispositivo, mas também está lhe dando mais opções do que jamais deu para que você gaste menos em um dispositivo que não seja o absoluto topo de linha. No fim das contas, a empresa é muito boa em vender coisas e ganhar dinheiro. Então, mesmo que o iPhone XR não seja tão bem-sucedido quanto todo mundo pensou que ele seria, o mundo segue girando. E a Apple, ganhando bilhões.

Siga o Gizmodo Brasil no Instagram

[Nikkei Asian Review]