Johnny Depp acusa Amber Hear, atriz que é sua ex-mulher, de difamação — e quer receber uma indenização de US$ 50 milhões por isso. O ator deve depor nesta terça-feira (19) em um Tribunal do Condado de Fairfax, no estado americano da Virgínia, segundo informações do site Deadline.  

A motivação do processo envolve um artigo de 2018 escrito por Amber Hear no jornal Washington Post sobre ter sobrevivido a abuso doméstico.

Assine a newsletter do Gizmodo

O artigo não cita Depp nominalmente. Mas os advogados do ator de 58 anos afirmaram que ficou claro que Heard estava se referindo a ele, o que teria prejudicado sua carreira e reputação no cinema.

O ator nega todas as alegações de violência. No processo, iniciado no dia 11 de abril, ele defende que as falas de Heard foram uma “farsa elaborada para gerar uma reputação positiva para a sra. Heard e alavancar sua carreira”.

Keenan Wyatt, técnico de som e amigo de longa data de Depp, também deve testemunhar na terça-feira (19) pelo lado do indicado ao Oscar. Segundo o Deadline, Depp seguirá sendo interrogado na quarta-feira (20).

Outros grandes nomes programados para testemunhar no julgamento incluem os atores James Franco e Paul Bettany, além de ninguém menos que Elon Musk. O depoimento de Heard ainda não tem data para acontecer.

Desde a publicação do artigo polêmico, Depp e sua ex-mulher vêm travando uma guerra legal. Heard tentou que o caso fosse arquivado ou transferido para a Califórnia. Sem sucesso, a atriz processou seu ex-marido por US$ 100 milhões em 2020.

Há menos de dois anos, Depp perdeu um caso de difamação contra o jornal britânico The Sun, que o chamou de “espancador de esposa”. Um juiz da Suprema Corte de Londres concluiu que ele agrediu Heard repetidamente.

Depp e Heard se conheceram em 2011, enquanto faziam “Diário de um Jornalista Bêbado”, e se casaram quatro anos depois. Heard acusou Depp de violência doméstica depois de pedir o divórcio em 2016.