A pandemia do novo coronavírus teve início há apenas alguns meses, mas isso não impediu que a doença fosse subestimada em mais de um momento. Primeiro foi a ideia de que o COVID-19, doença causada pelo vírus, seria “só uma gripe”. Agora, muito se fala que ela só atinge de maneira mais grave apenas os idosos. Isso não é verdade. Como mostram dados do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC), quase 40% dos hospitalizados são jovens adultos.

As informações estão em um relatório divulgado na quarta (18), que analisa os 2.500 primeiros casos de COVID-19. Entre estes pacientes, 508 precisaram ser hospitalizados, e cerca de 38% deles tinham entre 20 e 54 anos de idade. Além disso, dos 121 pacientes que precisaram de uma UTI, quase a metade tinha menos de 65 anos.

Os dados do CDC também mostram que os millennials, geração que tem entre 20 e 44 anos, também é largamente afetada pela doença. Eles representam 20% dos hospitalizados e 12% dos pacientes que deram entrada na UTI.

Por outro lado, crianças e adolescentes estiveram a salvo de complicações mais graves da doença nos EUA. Menos de 1% dos hospitalizados tinha 19 anos ou menos, e nenhum precisou ser colocado na UTI. Também não houve nenhuma morte nessa faixa etária. Mesmo assim, um estudo pediátrico realizado na China observa que algumas crianças e adolescentes precisam de hospitalização. O país asiático também registrou a morte de um paciente de apenas 14 anos de idade.

Como observa o New York Times, o relatório não traz informações sobre doenças preexistentes ou fatores de risco que podem ter levado ao agravamento e à hospitalização. Assim, não é possível ter um retrato mais detalhado de quem são estes jovens adultos que tiveram complicações devido ao COVID-19.

Os dados reforçam o apelo para evitar aglomerações e saídas sem necessidade. O jornal nova-iorquino também lembra que a médica Deborah Birx, líder da força-tarefa do governo federal dos EUA contra o coronavírus, ressaltou em uma coletiva na Casa Branca na quarta (18) que relatos vindos da França e da Itália davam conta de que adultos mais jovens vinham sendo hospitalizados.

Na ocasião, Birx fez um apelo para que a geração millennial fique em casa. “Você pode acabar transmitindo a doença para alguém que é jovem mas que sofre de uma condição ainda não diagnosticada, o que pode ter um resultado desastroso.”

Dr. Christopher Carlsten, chefe de medicina respiratória da Universidade da Colúmbia Britânica, também comentou o relatório. “Se muitas pessoas mais jovens estão sendo hospitalizadas, isso significa que muitas pessoas jovens da comunidade estão infectadas e mesmo assim circulando por aí.”