Na última segunda-feira (16) o médico venezuelano Moisés Luis Zagala González, conhecido como “Nosophoros” e “Aesculapius”, foi acusado pela justiça americana de criar e vender ransomwares.

Segundo a promotoria, o cardiologista de 55 anos “projetou e vendeu programas de roubo de dados, que os criminosos usavam para extorquir” empresas e outras instituições atacando suas redes.

Tudo começou em 2019, quando o médico teria anunciado sua nova ferramenta na web: “Private Ramsomware Builder”, que chamou de “Thanos” — sim, o vilão da Marvel. Além de vender o programa criminoso, ele ainda fazia trocas dos benefícios dos ataques cibernéticos, que podiam ser pagos pelo Paypal ou em criptomoedas.

O cardiologista costumava pedir aos “clientes” que avaliassem sua experiência usando o software. Ele vendeu licenças de uso com “opções básicas” por US$ 500 (cerca de R$ 2470) por mês ou US$ 800 com “todas as opções”.

De acordo com o FBI, Zagala criou uma versão 2.0 do ransomware Jigsaw, que foi projetada para atualizar programas de ransomwares mais antigos.

Os recursos do programa “Thanos” incluem criar uma mensagem de resgate personalizada, selecionar quais arquivos o ransomware deve criptografar e várias opções para ajudar a mascarar o código malicioso, evitando sua detecção por programas antivírus.

Caso seja condenado, Moisés Luis Zagala González pode pegar até cinco anos de prisão por tentativa de invasão de computadores e conspiração para invadir computadores.

E, por falar em ransomware, recentemente, mostramos aqui no Gizmodo que uma universidade americana de 157 anos fechou as portas permanentemente após ataque de ransomwares.