Kevin Lynch, diretor de tecnologia da Adobe, está abandonando o barco: ele foi contratado pela Apple, e será o novo vice-presidente de tecnologia. O que é estranho, porque no passado ele disse tanta coisa negativa sobre a Apple!

Lynch está na Adobe desde 2005, então era ele quem questionava Steve Jobs quando as duas empresas entravam em confronto sobre assuntos como liberdade, código aberto, e Flash.

Isso levou a uma série de comentários públicos sugerindo que Lynch discordava bastante das opiniões da Apple. Reunimos alguns abaixo.

De uma entrevista com a FastCompany, sobre a Apple preferir o HTML5 ao Flash:

“Eu só acho que há uma campanha negativa acontecendo, e por algum motivo, a Apple decidiu realmente incitá-la e tolerá-la”, diz Lynch. “Eu acho lamentável. Nós não achamos que seja bom para a web ter aspectos fechados – um bloqueio de certos tipos de expressão. Existe uma década de conteúdo que você não pode ver nos dispositivos da Apple, e eu acho que isso é prejudicial não só para a Adobe, mas também para todos que criaram esse conteúdo.”

De um post no blog da Adobe, sobre o Flash:

“Estamos prontos para habilitar o Flash no navegador [do iPhone e iPad] se e quando a Apple decidir permiti-lo para seus usuários, mas até agora não tivemos a cooperação necessária da Apple para fazer isso acontecer”

Então o próprio Steve Jobs escreveu mais de 1.500 palavras criticando duramente o Flash em dispositivos móveis. Lynch escreveu, em resposta, o post “Seguindo adiante”:

Estamos confiantes de que, se Apple e Adobe trabalhassem em conjunto – assim como fazemos com vários outros parceiros – poderíamos oferecer uma experiência incrível do Flash no iPhone, iPad e iPod touch.

No entanto, como postamos na semana passada, dados os termos jurídicos que a Apple impôs aos desenvolvedores, nós já decidimos tirar nosso foco dos aparelhos da Apple tanto para o Flash Player como para o AIR.

E parece que Lynch não gostava do foco da Apple em se concentrar nos apps. Da Web 2.0 Expo em 2010, relatado pelo WebMonkey:

“A Apple está usando uma estratégia para criar um jardim murado em torno do que as pessoas usam”, continuou Lynch.

Ele voltou a uma analogia que ele usou no passado: o desenvolvimento de ferrovias nos EUA no século XIX.

“Parte da dinâmica competitiva na época era que as pessoas usavam trilhos com bitola [distância entre dois trilhos] diferente em cada seção do percurso”, diz ele. Se você quisesse levar sua carga para a estrada de ferro de outra pessoa, você precisava descarregar tudo e colocar em vagões diferentes. Um mesmo vagão não poderia trafegar em diferentes seções da ferrovia.

“Isso não era bom para a indústria. A ‘bitola dos trilhos’ hoje é escrever código para cada sistema operacional.”

Mesmo assim, a nova contratação deve ser ótima para a Apple, já que a empresa perdeu alguns dos seus melhores talentos em tempos recentes. Além disso, as coisas mudaram uma vez que o Flash começou a morrer, especialmente em dispositivos móveis. E quando a Apple lhe oferece um monte de dinheiro, como provavelmente aconteceu, também fica mais fácil deixar essas convicções no passado.