Assinaturas de email podem ser mais chatas do que você pensa, mas nós muitas vezes nos deparamos com gafes ainda mais bizonhas nas nossas caixas de entrada. O Lifehacker pediu para que os leitores contassem quais eram os piores hábitos relacionados a emails nas suas opiniões, e elas resultaram nesta lista.

Nota: é impossível fazer julgamentos rápidos e certeiros em relação a etiqueta em emails, e em alguns exemplos você pode discordar fortemente, mas ao menos é bom saber que algumas pessoas podem não gostar de tal comportamento.



"Enviado do meu"

O fato de você manter uma assinatura automática nos moldes de "Enviado do meu iPhone/iPad/BlackBerry/celular" (ou "Sent from my", para os muitos que usam em inglês) oferece algum tipo de informação útil sobre o contexto da sua mensagem (digitada longe do computador?).

Muitos leitores do Lifehacker se mostraram extremamente contrariados com este hábito. Um deles, Paul Duke, resumiu muito bem o sentimento geral:

Em vez de  "Enviado do meu iPhone", poderia muito bem estar escrito "Eu não sei mexer nas configurações para desabilitar isso, ou sou muito pretensioso para tentar".

Peter Alexander completou:

Ler "Enviado do meu iPhone / BlackBerry" sempre me faz pensar que eu não valho mais do que uma resposta rápida via celular. Não acho profissional.

Kim Price contribuiu com um tipo diferente de efeito colateral do "Enviado do meu": 

… Há alguns anos eu enviei um email para uma ex-colega de serviço, então invejosa sócia, com uma assinatura "Enviado do meu BlackBerry Verizon Wireless", e a resposta dela foi ríspida e assinada com um "Enviado do meu Computador do Escritório da *Nome da Empresa*." Eu não fazia ideia de que smartphones ainda eram considerados símbolos de status por alguns naquela época (até porque não havia nenhuma razão para que ela não pudesse comprar um, ou mesmo conseguir um de graça com a operadora). Eu educadamente expliquei que aquilo era algo adicionado pela Verizon, e não por mim, e que era para benefício de quem recebesse o email. Certamente esta não foi a única coisa estúpida que eu já recebi por email daquela pessoa, mas esta foi a única que eu passei adiante no meu escritório para que todos pudessem dar umas risadas. 

Muitos leitores sugeriram também transformar esta chatisse em algo criativo através de substituições inteligentes ou mais apropriadas, como "iTyped with my iThumbs" (que não faz sentido em português) ou então minimizar o fator esnobe ao substituir a frase por algo como "Enviado do meu celular. Por favor perdoe a brevidade, pontuação e gramática". Pronto.

Discursos e lembretes

Poucas pessoas gostam de emails com ordens. Menos ainda curtem enormes blocos de textos tentando impor instruções desnecessárias a cada mensagem. 

Dan MacWilliam foi sucinto e sincero sobre o seu desagrado com discursos legais:

"Um discurso legal de três parágrafos que é mais longo do que a mensagem. Também: logos ou gráficos da assinatura em anexo.

Você sabe do que o Dan está falando. Aqueles enormes textos dizendo que aquela mensagem é confidencial e deveria ser lida apenas pelo destinatários, que se você recebeu por engano deve apagar a mensagem de cada servidor a que você tenha acesso… e por aí vai. 

Amy Robertson é uma das muitas que consideram as frases "Pense no meio ambiente" inúteis na melhor das hipóteses:

"A pior coisa são aquelas frases "Antes de imprimir este email, pense no meio ambiente". Se eu tiver que imprimir eu vou imprimir, independente de você ficar me enchendo o saco!"

O obrigado automático

Um "muito obrigado" geralmente indica um sentimento de gratidão genuíno, mas às vezes soam como (e são) apenas uma tentativa falsa de parecer educado, algo que dá mais nos nervos do que o normal. 

Daniel Champagne: 

"Respostas automáticas como "Muito obrigado pelo seu email! Estou muito ocupado no momento e lhe responderei em breve". Só você que está muito ocupado no trabalho, queridão?

Ryah Noah:

"Desde já agradeço". Quer dizer que desde antes não? Isso é idiota e irritante. Um "Obrigado" já não dá conta do recado?

Eufemismos e outras indiretas

Fora do contexto de assinaturas, discursos e respostas automáticas, os leitores lembraram de mais algumas coisas que eliminariam da face da Terra dos Emails, se pudessem.

Anna Lozo odeia algo de todo o coração: 

"Nós precisamos". Tradução: "xyz precisa ser feito, mas eu sou um chefe tão medíocre e covarde que não vou dizer diretamente a nenhum de vocês para fazer isso, vou apenas dizer que precisa ser feito e depois vou olhar para vocês com um silêncio de reprovação quando ficar sabendo que não está pronto, durante a próxima reunião". A minha resposta a esse tipo de email é sempre um "quem você quer quer que faça, e pra quando?". Nunca falha em deixar o chefe atrapalhado. 

Angelo Stavro lembrou de algo com que nós concordamos completamente:

"Usar o campo CC quando deveria usar o BCC. Deixe meu endereço oculto, caramba!"

Para terminar, Brandon Rome parece já ter prestado bastante suporte gratuito: 

"Te devo uma cerveja!" Eles nunca pagam :[

Agora é a sua vez. Compartilhe aí nos comentários o seu ódio a estes (e outros!) hábitos chatos de email.