Nem toda luz é feita da mesma forma. Uma equipe de físicos descobriu que fótons podem viajar de uma forma diferente de qualquer outra fonte de luz já analisada no passado.

Uma equipe da Trinity College Dublin (Irlanda) estudou o momento angular da luz. À medida que um feixe de luz viaja através do espaço, ele se propaga para a frente em linha reta. No entanto, o feixe pode girar ao longo do eixo no qual ele se desloca, tal como um saca-rolhas rodando através do espaço.

Em comunicado, o professor John Donegan explica: “o momento angular é a medida de quanto algo está girando. Mesmo que um feixe de luz viaje em linha reta, ele também pode estar girando em torno de seu próprio eixo”.

Existe um número que guia o movimento desse feixe, chamado constante de Planck. Em termos técnicos, o momento angular deveria ser um múltiplo inteiro dessa constante fundamental na física.

No entanto, os experimentos da equipe mostram que é possível ter fótons com momento angular que é a metade da constante de Planck – é uma diferença pequena, porém notável.

“Esse resultado é tão emocionante porque mesmo essa propriedade fundamental da luz, que os físicos sempre pensavam ser fixa, pode ser alterada”, diz o professor assistente Paul Eastham em comunicado.

Além disso, a equipe acredita que isto pode ser útil em comunicações ópticas, para codificar e transmitir dados em feixes de luz de forma mais segura.

Eastham sugere à CNN que fótons se deslocando com momento diferente permitiriam transmitir dados com um risco menor de interceptação. “Nós estamos interessados ​​em descobrir como podemos mudar a forma como a luz se comporta, e como isso poderia ser útil”, diz ele no comunicado.

A equipe inicialmente previu o fenômeno usando modelos teóricos, então testou isso usando um kit especial que conseguia torcer um feixe de luz passando através de cristais. A pesquisa foi publicada na revista Science Advances.

[PhysOrg e CNN]

Imagem por John Donegan/Trinity College Dublin