Ao que tudo indica a Apple está se preparando para abrir um canal de vendas diretas pela internet no Brasil. A loja online, na verdade, estava funcionando mais ou menos, semitraduzida, de acordo com a MacMagazine (que capturou a imagem acima). Agora, o endereço leva a um site com o link de várias lojas pelo mundo e a mensagem "We’ll be back soon" (voltaremos logo).

Um usuário do fórum da MacNews disse que uma atendente do telemarketing deixou escapar que a loja será aberta ainda este mês. Contatamos a assessoria da empresa no Basil, que informou que a Apple não comentaria o assunto.  Fato é que a Apple já tem lojas online em 32 países. Na América Latina apenas o México tem uma, desde 2007.

Qual a vantagem para o Brasil? Possivelmente três: desconto para estudantes em software, produtos personalizados (como iPods com gravação na traseira) e garantia de ter sempre toda a variedade, atualizada.

Dizer que os preços serão mais baixos, como muita gente fala por aí, pode fazer sentido, mas é pura especulação. À Apple é interessante vender online, e seus custos são mais baixos dessa forma, sem dúvida. Mas no Brasil as vendas se dão essencialmente no varejo – as pessoas gostam de experimentar, ver os produtos antes, especialmente os mais caros. Então seria algo meio contraproducente investir em apenas um canal depois de passar os últimos meses fechando parcerias com várias lojas grandes para "espaços de experiência da Apple", como na Fnac e Fast Shop.

Minha opinião? os preços serão os mesmos dos parceiros. Com uma ou outra promoção relâmpago, como tem feito outras empresas, anunciando até via Twitter. Mas de qualquer forma é muito bom que seja aberta uma loja aqui. iPhones continuarão sendo vendidos com contrato da operadora, como em qualquer lugar do mundo.

Aliás, a grande procura pelos iPhones no Brasil deve ter aberto o olho da Apple de que o brasileiro se interessa pelos seus produtos, mesmo que a Taxa Apple no Brasil seja ainda mais indecente. Ou, se você preferir o lado polianístico das coisas, o Macbook White de mil dólares nos EUA custa menos que o dobro no Brasil. Considerando que um netbook aqui custa até 3 vezes o preço, comparativamente até que comprar um Mac por aqui não é tão mau negócio.  [MacMagazine]