A equipe da espaçonave Gaia, da Agência Espacial Europeia, divulgou seu tão esperado conjunto de dados sobre cerca de 1,7 bilhão de estrelas. Você pode conferir uma nova vista de todas essas estrelas na Via Láctea e nas galáxias acima, mas você precisa dar um zoom para apreciar o tanto de coisas que existe neste mapa. Sim, as manchas são estrelas.

• A Galáxia de Andromeda parece não ser tão grande quanto imaginávamos
• Metade da nossa galáxia pode ter vindo de outras galáxias

Além de todas as 1,7 bilhão de estrelas, esse segundo lançamento de dados da Gaia contém os movimentos e as cores de 1,3 bilhão de estrelas em relação ao Sol e também como as estrelas se relacionam com coisas no plano de fundo distante, com base na posição da Terra. Ele também traz velocidades radiais, quantidade de poeira e temperaturas de superfície de várias estrelas. Vem também com um catálogo de mais de 14 mil objetos do Sistema Solar, incluindo asteroides. Tem realmente muito dado no lançamento.

Gráfico: ESA

“Só o tempo vai dizer o que os astrônomos vão fazer com isso”, disse o gerente de operações científicas da Gaia, Uwe Lammers, ao Gizmodo.

E os astrônomos já estão fazendo algo com esses dados. Ronald Drimmel, do Observatório Astrofísico de Turim, postou este mapa da posição das estrelas e suas velocidades. Os braços (resultado de compressões gravíticas da massa do disco galáctico que provocam sua forma espiral visível) da nossa galáxia já começaram a surgir a partir dos dados.

A Agência Espacial Europeia também publicou uma série de outras visualizações de dados. Abaixo, por exemplo, estão as trajetórias de quase 90 satélites da Via Láctea, incluindo amontoados de estrelas chamados de aglomerados globulares, em azul, e galáxias orbitais, em vermelho. Você pode ver as famosas Grande e Pequena Nuvens de Magalhães no canto direito inferior.

Mapa da Via Láctea contendo seus satélites (Imagem: ESA)

E aqui estão as órbitas dos objetos do Sistema Solar em torno do Sol, coloridas com base em seu brilho.

Asteroides em torno do Sol, com base no brilho (Imagem: ESA)

Isso, é claro, é apenas o começo. Os cientistas que esperam entender nossa galáxia ainda vão precisar analisar muito todos esses dados para descobrir mais sobre a Via Láctea, levando anos para que isso aconteça.

Uma vez que isso estiver feito, a tocha será passada para o terceiro conjunto de dados a ser lançado pela Gaia, marcado para a próxima década.

A Gaia foi lançada em 2013 e orbita o Sol na mesma velocidade que a Terra, embora esteja 1,5 milhão de quilômetros mais distante.

O link para os dados estão aqui, e um guia para o que os dados contêm e como usá-los pode ser acessado aqui. E ainda tem um monte de coisa para leigos aqui. Aproveite!

Imagem do topo: ESA