Tocar acidentalmente no botão reply all (responder para todos) em uma série de e-mails foi uma das primeiras babaquices online a surgir. Nesta semana, a Microsoft começou a lançar um recurso para ajudar a salvar as caixas de entrada futuras de conhecer o horror que é estar numa conversa em que algum gênio usou o “responder para todos”.

Chamado apropriadamente de “Reply All Storm Protection” (Algo como “Proteção contra a tempestade de Responder para Todos”), ele detecta possíveis erros de resposta para todos e basicamente coloca todos os destinatários em um regime especial para evitar que solicitações de pessoas na lista que queiram ser retiradas ou trolls que ficam trocando mensagens apareçam nas caixas de entrada alheias.

Por enquanto, o recurso é voltado principalmente para grandes empresas, conforme explica a equipe do Microsoft Exchange em um blog post, e é acionada apenas se 10 e-mails com resposta para todos forem enviados para uma lista de distribuição de pelo menos 5.000 pessoas em uma hora.

Aviso de tempestade de "responder para todos" exibida ao administrador de e-mail
Vai aparecer um alerta para quem tentar colocar muita gente no “responder para todos. Crédito: Microsoft

“Já estamos vendo a primeira versão do recurso reduzir com êxito o impacto das tempestades de ‘responder para todos’ dentro da Microsoft (sim, os seres humanos ainda se comportam como seres humanos, independentemente da empresa em que trabalham) e acreditamos que isso também beneficiará muitas outras organizações”, escreveu a equipe.

Embora a empresa não tenha anunciado uma linha do tempo, a Microsoft diz que planeja ajustar e atualizar esse recurso Reply All Storm Protection para que possa proteger uma ampla gama de usuários do Office 365 dessas situações.

“Estamos considerando possíveis melhorias futuras para melhorar nossa resposta, com precisão na detecção de tempestades de respostas para todos, adicionar limites personalizáveis para o administrador e duração de bloqueio, além de produzir relatórios de respostas para todos e notificações”, diz o blog post.

Quando o anúncio foi feito em novembro, a Microsoft explicou que a ideia para o recurso surgiu do incidente por causa de uma lista chamada Bedlam DL3. Em 1997, o que só mostra que esta praga do “responder para todos” existe há muito tempo, um funcionário da Microsoft pediu para ser removido da lista de distribuição de mesmo nome sem perceber que ela iria para 13 mil funcionários que estavam copiados na conversa.

Em uma hora, os funcionários trocaram mais de 15 milhões de mensagens, geraram 195 GB de dados e sobrecarregaram os servidores Exchange, da Microsoft. “Demorou dois dias para limpar tudo”, escreveu a equipe.